CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!

Tribunal do Júri de Curitiba condena a 27 anos e 4 meses de prisão homem denunciado pelo MPPR por matar a convivente, em caso de homicídio sem cadáver

Conforme apurado, o homem matou a vítima, por ciúmes e discussões banais, mediante asfixia, com um golpe “mata-leão”, dentro da residência do casal. Depois levou o......

Publicado em

Por CGN 1

Publicidade

O Tribunal do Júri de Curitiba condenou a 27 anos e 4 meses de prisão um homem denunciado pelo Ministério Público do Paraná por homicídio duplamente qualificado pela morte e ocultação do cadáver da convivente, uma adolescente de 17 anos de idade. O crime ocorreu em novembro de 2012, no bairro Alto Boqueirão. O réu, que permaneceu muitos anos foragido, foi preso em março deste ano e não poderá recorrer da condenação em liberdade.

Conforme apurado, o homem matou a vítima, por ciúmes e discussões banais, mediante asfixia, com um golpe “mata-leão”, dentro da residência do casal. Depois levou o corpo em um baú, com um carrinho de mão, até um matagal, onde ateou fogo ao cadáver e depois colocou os restos mortais em sacos plásticos, que nunca foram encontrados. Na oportunidade, o denunciado procurou convencer um adolescente de 17 anos de idade a auxiliá-lo a ocultar o cadáver, mas o rapaz conseguiu contornar a situação, voltar para casa e contar o ocorrido aos pais, que o levaram até a Polícia. A família da vítima foi procurada pelo réu, que relatou que ela teria fugido em companhia de um namorado, levando consigo todos os pertences dela, inclusive uma televisão, que foi encontrada depois, na casa de um amigo do acusado.

Foram acolhidas no julgamento todas as teses sustentadas pelo Ministério Público homicídio duplamente qualificado por motivo fútil e meio cruel e ainda ocultação de cadáver. A qualificadora do feminicídio ainda não existia na época do crime, mas a pena foi agravada porque o homem se prevaleceu de relações domésticas. O denunciado também foi condenado a pagar indenização por danos morais à família da vítima.

Lugar de Escuta – A família da adolescente assassinada se habilitou como assistente e atuou ao longo de toda a ação penal ao lado do Ministério Público na busca da efetiva promoção da justiça, jamais de vingança ou qualquer outra pretensão ilegítima. A mãe e um irmão da vítima, que prestaram depoimento presencial na sessão de julgamento, visitaram, dias antes, em companhia da advogada que constituíram para representá-los, as dependências do Tribunal do Júri, quando foram recepcionados pelo promotor de Justiça que conduziria o caso e pela servidora do MPPR responsável pelo programa Nujuri, voltado ao atendimento a vítimas de homicídio e seus familiares. Na oportunidade, receberam orientação quanto ao local de entrada e permanência até o momento da inquirição, conheceram o plenário do Júri e também foram informados a respeito das etapas do processo e da dinâmica do julgamento, dentro do projeto daquela unidade ministerial denominado “Lugar de Escuta”, de ambientação de vítimas diretas e indiretas no espaço forense, em momento anterior às datas das audiências e sessões plenárias.

Processo número 0000165-57.2013.8.16.0006

[email protected]

Fonte: MPPR

Notícias Relacionadas:

MPPR oferece denúncia contra homem que incendiou colégio estadual em Itaúna do Sul por ciúmes da namorada
MPPR oferece denúncia contra homem que incendiou colégio estadual em Itaúna do Sul por ciúmes da namorada
Gaeco cumpre 11 mandados de busca e apreensão e faz duas prisões em flagrante em ação contra o tráfico de drogas
Gaeco cumpre 11 mandados de busca e apreensão e faz duas prisões em flagrante em ação contra o tráfico de drogas
Homem condenado por estupro de vulnerável que descumpriu medida cautelar de afastamento da vítima é preso a partir de pedido do MPPR em Castro
Homem condenado por estupro de vulnerável que descumpriu medida cautelar de afastamento da vítima é preso a partir de pedido do MPPR em Castro
MPPR cumpre 12 mandados de prisão em investigação sobre organização criminosa envolvida com roubos a fazendas em diversos municípios
MPPR cumpre 12 mandados de prisão em investigação sobre organização criminosa envolvida com roubos a fazendas em diversos municípios
Justiça Eleitoral sustenta a condenação de ex-prefeitos de Araucária denunciados pelo MPPR na Operação Sinecuras
Justiça Eleitoral sustenta a condenação de ex-prefeitos de Araucária denunciados pelo MPPR na Operação Sinecuras
MPPR em Castro obtém a condenação no Júri de dois réus denunciados por homicídio qualificado pela morte de rapaz de 28 anos após discussão
MPPR em Castro obtém a condenação no Júri de dois réus denunciados por homicídio qualificado pela morte de rapaz de 28 anos após discussão
Tribunal do Júri de Ponta Grossa sentencia a 25 anos de prisão homem denunciado pelo MPPR pela morte da namorada ocorrida em 2022
Tribunal do Júri de Ponta Grossa sentencia a 25 anos de prisão homem denunciado pelo MPPR pela morte da namorada ocorrida em 2022
MPPR de Quatro Barras e PMPR cumprem ordens de buscas e apreensão e prisão preventiva em caso de furto de 75 quilos de explosivos de mineração
MPPR de Quatro Barras e PMPR cumprem ordens de buscas e apreensão e prisão preventiva em caso de furto de 75 quilos de explosivos de mineração
Gaeco cumpre mandados na segunda fase da Operação Securus Via, que investiga possíveis crimes cometidos por policiais
Gaeco cumpre mandados na segunda fase da Operação Securus Via, que investiga possíveis crimes cometidos por policiais
MPPR requer e Judiciário determina prisão preventiva de responsável por pet shop que mantinha animais em situação de maus-tratos em Quatro Barras
MPPR requer e Judiciário determina prisão preventiva de responsável por pet shop que mantinha animais em situação de maus-tratos em Quatro Barras
MPPR denuncia por duplo homicídio qualificado homem que atirou e matou casal de seguranças em Guarapuava no dia 23 de março
MPPR denuncia por duplo homicídio qualificado homem que atirou e matou casal de seguranças em Guarapuava no dia 23 de março
Gaeco promove em Loanda e Sarandi a Operação Exação, com o cumprimento de ordens de busca e apreensão e afastamento de funções públicas
Gaeco promove em Loanda e Sarandi a Operação Exação, com o cumprimento de ordens de busca e apreensão e afastamento de funções públicas
Começa nesta quinta-feira, 4 de abril, julgamento do policial penal que matou guarda municipal em Foz do Iguaçu em 2022
Começa nesta quinta-feira, 4 de abril, julgamento do policial penal que matou guarda municipal em Foz do Iguaçu em 2022
Mortes em confrontos com forças estatais de segurança em 2023 caíram 28,7% em relação a 2022
Mortes em confrontos com forças estatais de segurança em 2023 caíram 28,7% em relação a 2022
Judiciário recebe denúncia do MPPR contra dois agentes da polícia judiciária lotados na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da capital
Judiciário recebe denúncia do MPPR contra dois agentes da polícia judiciária lotados na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da capital
Acórdãos do TJPR mantêm condenações de ex-prefeito de Vitorino denunciado pelo MPPR por fraudes em licitações que causaram prejuízo ao erário
Acórdãos do TJPR mantêm condenações de ex-prefeito de Vitorino denunciado pelo MPPR por fraudes em licitações que causaram prejuízo ao erário
MPPR denuncia por homicídio culposo dois médicos que teriam agido com imperícia, imprudência e negligência em atendimento à vítima que veio a óbito
MPPR denuncia por homicídio culposo dois médicos que teriam agido com imperícia, imprudência e negligência em atendimento à vítima que veio a óbito
MPPR, PMPR e Polícia Penal do Paraná deflagram Operação Insensibilis, com o cumprimento de 28 ordens de prisão em oito cidades paranaenses
MPPR, PMPR e Polícia Penal do Paraná deflagram Operação Insensibilis, com o cumprimento de 28 ordens de prisão em oito cidades paranaenses
MPPR, PMPR e Polícia Penal do Paraná deflaram Operação Insensibilis, com o cumprimento de 28 ordens de prisão em oito cidades paranaenses
MPPR, PMPR e Polícia Penal do Paraná deflaram Operação Insensibilis, com o cumprimento de 28 ordens de prisão em oito cidades paranaenses
Servidor público municipal de São João do Ivaí denunciado pelo MPPR por tentar valer-se do cargo para descumprir orientação de policiais é condenado por desacato
Servidor público municipal de São João do Ivaí denunciado pelo MPPR por tentar valer-se do cargo para descumprir orientação de policiais é condenado por desacato
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais