CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Estado aumenta mapeamento nutricional da população e divulga hábitos alimentares
Estado aumenta mapeamento nutricional da população e divulga hábitos alimentaresFoto: Roberto Dziura Jr/AEN

Estado aumenta mapeamento nutricional da população e divulga hábitos alimentares

De acordo com um levantamento da Secretaria da Saúde, os hábitos alimentares de 1.553.561 pessoas foram avaliados na Atenção Primária à Saúde (APS) em 2019 e 2.936.220 em......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Estado aumenta mapeamento nutricional da população e divulga hábitos alimentares
Estado aumenta mapeamento nutricional da população e divulga hábitos alimentaresFoto: Roberto Dziura Jr/AEN

O Governo do Paraná monitora permanentemente a saúde dos paranaenses em todos os níveis e um dos resultados dessa ação é o aumento de 89% no número de pessoas que tiveram o estado nutricional avaliado nas Unidades de Saúde da Atenção Primária entre 2019 e 2022. Ele envolve a avaliação de marcadores do consumo alimentar. Os dados são preocupantes e indicam alta prevalência de excesso de peso e maus hábitos alimentares, com excesso de bebidas adoçadas e alimentos ultraprocessados.

De acordo com um levantamento da Secretaria da Saúde, os hábitos alimentares de 1.553.561 pessoas foram avaliados na Atenção Primária à Saúde (APS) em 2019 e 2.936.220 em 2022. Em 2012, foram 803.909 pessoas, o que aponta um aumento de 265% em uma década. Os números do ano passado envolveram cerca de 30% da população, o que garante uma avaliação mais detalhada e o delineamento do perfil do Paraná, fornecendo subsídios para o planejamento de ações voltadas às necessidades de saúde.

De maneira geral, a avaliação consiste na aferição do peso e da altura e em aplicar uma ficha elaborada pelo Ministério da Saúde, disponível no e-SUS com perguntas referentes ao consumo alimentar. Após o preenchimento dessas informações, por qualquer profissional de saúde, é possível avaliar o estado nutricional e ter pistas gerais da alimentação, o que subsidia o profissional a fazer uma orientação individualizada, bem como o desenvolvimento de ações coletivas e formulação de políticas públicas em todos os níveis de gestão do SUS.

Os dados são monitorados pelo Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan), que consolida registros realizados nos sistemas e-SUS APS, Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família na Saúde e no próprio Sisvan.

ALIMENTAÇÃO INADEQUADA – O último relatório publicado pela Secretaria da Saúde foi a Situação Alimentar e Nutricional do Paraná – 2012 a 2022, que identificou presença de alimentos ultraprocessados e bebidas açucaradas na alimentação da maioria dos paranaenses avaliados em todas as fases da vida, com participação inclusive na alimentação de crianças menores de dois anos. Ele traz o diagnóstico nutricional referente à população que frequenta as unidades de saúde e serve de orientação para a gestão das ações de alimentação e nutrição no SUS.

Para a diretora da Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti Lopes, o relatório tem como premissa caracterizar o panorama da alimentação e do estado nutricional da população atendida no Sistema Único de Saúde (SUS) paranaense.  “Desta forma conseguimos dar maior visibilidade à situação alimentar e nutricional e orientar a organização do cuidado e da atenção nutricional, bem como ações de prevenção e promoção da saúde, em todas as esferas de gestão do SUS”, pontuou.

Os dados demonstram uma alimentação de baixa qualidade, com altas taxas de obesidade em todas as faixas etárias e presença de desnutrição, especialmente em idosos e gestantes.

Os dados foram extraídos para todas as faixas etárias. Em 2022, último dado consolidado, até aos seis meses, apenas 56% dos bebês foram alimentados exclusivamente com o leite materno, número que cai para 49% quando avaliado o aleitamento materno continuado dos seis aos 23 meses de idade.

Para crianças acima de seis meses até dois anos foi avaliada também a diversidade alimentar mínima. Desse público em específico, 75% das crianças receberam seis grupos alimentares no dia anterior à avaliação, dentre eles o leite materno ou outro leite e/ou derivados; frutas, legumes e verduras; vegetais ou frutas fontes de vitamina A e ferro; carnes e ovos; feijão; e cereais e tubérculos.  

Já para as demais faixas etárias, acima dos dois anos e os idosos são os campeões em hábitos saudáveis em relação ao consumo de feijão, verduras e legumes. Cerca de 91% disseram consumir esses alimentos. Idades entre cinco a nove anos têm o menor percentual; 79% para o feijão e 63% para o consumo de verduras e legumes. Para as demais faixas etárias esses valores variam entre 85% a 90% para consumo de feijão e 71% a 88% para consumo de verduras e legumes.

O levantamento também apontou que existe um elevado consumo de bebidas adoçadas em todas as faixas etárias, inclusive para crianças menores de dois anos. Dentre as crianças dessa faixa etária, 34% já haviam consumido bebidas adoçadas. Nas demais faixas etárias, o consumo é menor em idosos, mas ainda assim bastante significativo (53% de consumo de bebidas adoçadas). Entre crianças, adolescentes, adultos e gestantes o percentual varia de 67% a 75%.

O consumo de alimentos ultraprocessados foi identificado em 53% das crianças menores de dois anos e ultrapassa 75% em todas as demais faixas etárias analisadas, sendo maior entre crianças e adolescentes (89%).

REFLEXO ALIMENTAR – Como reflexo também dessa alimentação desequilibrada, o excesso de peso, que considera a somatória de sobrepeso e obesidade, apresenta níveis elevados no Paraná, com curva crescente ao longo do período analisado, com crescimento mais acelerado entre 2019 e 2021 e ligeira queda em 2022. Em 2020 ele ultrapassou pela primeira vez 50% da população consultada, o que se mantém até 2022 (52,87%).

A maior proporção de excesso de peso foi identificada na população adulta, 69%, e, destas, 35% estavam com obesidade. Mais da metade da população de idosos (55%) e de gestantes (55%) avaliados também apresentavam excesso de peso. Entre os adolescentes, 38% foram identificados com excesso de peso.

O sobrepeso e a obesidade também estão presentes na infância, atingindo 35% das crianças entre cinco e dez anos, 15% entre dois e cinco anos, 16% entre seis meses e dois anos e 7% das crianças menores de seis meses.

VIGILÂNCIA ALIMENTAR – A Vigilância Alimentar e Nutricional está prevista na Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, criada pelo SUS, além de ser uma das diretrizes da Política Nacional de Alimentação e Nutrição. É uma das estratégias essenciais para a organização e gestão do cuidado integral na Rede de Atenção à Saúde.

A produção de informações a partir dos dados registrados é uma importante ferramenta para apoiar os profissionais de saúde na avaliação do estado nutricional e do consumo alimentar da população e para o planejamento de intervenções.

O relatório Situação Alimentar e Nutricional do Paraná – 2012 a 2022 também traz dados das Macrorregionais de Saúde. Na Macrorregional Leste, por exemplo, mais de 69% dos adultos estão com sobrepeso ou obesidade. Na Macrorregional Oeste, são 67%, na Macrorregional Norte, 69%, e na Macrorregional Noroeste, 70%.

Os dados também investigam o estado nutricional de crianças de 0 a 6 meses, de 6 meses a 2 anos, de 2 a 5 anos, de 5 a 10 anos, de adolescentes, de idosos e de gestantes, a partir de aspectos como desnutrição e excesso de peso. Os valores analisados para crianças de 0 a 6 meses de idade em 2022 demonstram 5% de desnutrição, enquanto a obesidade atinge 2% e o excesso de peso 7%, sem grandes diferenças entre os sexos e com obesidade ligeiramente superior na Macrorregião Leste.

Confira o relatório completo

AQUI

.

Fonte: AEN

Notícias Relacionadas:

Boletim da dengue registra 34.360 novos casos e 47 óbitos no Paraná
Boletim da dengue registra 34.360 novos casos e 47 óbitos no Paraná
Estado entrega 24 novas ambulâncias para fortalecer o Samu de Curitiba
Estado entrega 24 novas ambulâncias para fortalecer o Samu de Curitiba
Em expansão, telediagnóstico em dermatologia apresenta bons resultados no Paraná
Em expansão, telediagnóstico em dermatologia apresenta bons resultados no Paraná
Hospital de Rolândia é a 20ª instituição com a certificação Amigo da Criança no Paraná
Hospital de Rolândia é a 20ª instituição com a certificação Amigo da Criança no Paraná
RS: cerca de 3 mil estabelecimentos de saúde podem ter sido impactados
RS: cerca de 3 mil estabelecimentos de saúde podem ter sido impactados
Estado libera R$ 15 milhões para ampliação do Hospital Municipal de Palotina
Estado libera R$ 15 milhões para ampliação do Hospital Municipal de Palotina
Estado aumenta investimentos no Hospital São Lucas para fortalecer cardiologia no Oeste
Estado aumenta investimentos no Hospital São Lucas para fortalecer cardiologia no Oeste
Estado e UEPG confirmam abertura de 22 novos leitos clínicos para Ponta Grossa
Estado e UEPG confirmam abertura de 22 novos leitos clínicos para Ponta Grossa
Doações de leite atenderam 11 mil bebês no Paraná em 2023; rede cobre todo o Estado
Doações de leite atenderam 11 mil bebês no Paraná em 2023; rede cobre todo o Estado
Estado atualiza Plano de Atenção para Diagnóstico e Tratamento do Câncer
Estado atualiza Plano de Atenção para Diagnóstico e Tratamento do Câncer
Com nova vacina da Covid-19, Estado esclarece quem deve receber o imunizante
Com nova vacina da Covid-19, Estado esclarece quem deve receber o imunizante
Pilotos que transportam órgãos encontram adolescente que recebeu um novo coração
Pilotos que transportam órgãos encontram adolescente que recebeu um novo coração
Com foco no atendimento em saúde mental, Paraná inicia novo ciclo do PlanificaSUS
Com foco no atendimento em saúde mental, Paraná inicia novo ciclo do PlanificaSUS
Boletim da Secretaria da Saúde registra 27.627 novos casos de dengue e mais 38 óbitos
Boletim da Secretaria da Saúde registra 27.627 novos casos de dengue e mais 38 óbitos
Governo do RS destina mais R$ 30,3 milhões a ações em saúde e abrigos
Governo do RS destina mais R$ 30,3 milhões a ações em saúde e abrigos
Complexo Hospitalar do Trabalhador promove Semana da Enfermagem em Curitiba
Complexo Hospitalar do Trabalhador promove Semana da Enfermagem em Curitiba
Atendimentos a casos de intoxicação aumentam cinco vezes em dez anos no Paraná
Atendimentos a casos de intoxicação aumentam cinco vezes em dez anos no Paraná
Paraná realiza acolhimento de mais 163 profissionais do Programa Mais Médicos
Paraná realiza acolhimento de mais 163 profissionais do Programa Mais Médicos
Em homenagem ao Dia da Enfermagem, Piana destaca importância da profissão
Em homenagem ao Dia da Enfermagem, Piana destaca importância da profissão
Hospital de Reabilitação realiza mutirão de cirurgias eletivas para agilizar fila, em Curitiba
Hospital de Reabilitação realiza mutirão de cirurgias eletivas para agilizar fila, em Curitiba
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais