CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Governo do Paraná destina R$ 4 milhões a projetos de expedições científicas na Amazônia
Governo do Paraná destina R$ 4 milhões a projetos de expedições científicas na AmazôniaFoto: Fundação Araucária

Governo do Paraná destina R$ 4 milhões a projetos de expedições científicas na Amazônia

A Iniciativa Amazônia+10 é liderada pelo Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisas (Confap) e pelo Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Governo do Paraná destina R$ 4 milhões a projetos de expedições científicas na Amazônia
Governo do Paraná destina R$ 4 milhões a projetos de expedições científicas na AmazôniaFoto: Fundação Araucária

A Iniciativa Amazônia+10 e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) divulgaram nesta quinta-feira (17), a Chamada Pública Expedições Científicas, que vai disponibilizar R$ 59,2 milhões para financiar pesquisas voltadas à expansão do conhecimento científico da sociobiodiversidade sobre áreas pouco conhecidas da maior floresta tropical do mundo. Do total, R$ 4 milhões são destinados pelo Governo do Paraná, por meio da Agência Araucária, para apoiar, a participação de paranaenses em grupos de pesquisadores que atuarão em expedições científicas multidisciplinares na região.

A Iniciativa Amazônia+10 é liderada pelo Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo a Pesquisas (Confap) e pelo Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência Tecnologia e Inovação (Consecti), e conta também com a parceria do CNPq. “O Programa Iniciativa Amazônia+10 busca viabilizar recursos para projetos científicos na região, articulando grupos de pesquisa que combinam pesquisadores locais com de outros Estados”, disse Ricardo Galvão, presidente do CNPq. Ele ressaltou que a preservação da Floresta Amazônica e o desenvolvimento de sua economia de uma forma sustentável, não predatória, depende fortemente do conhecimento científico local.

Dezenove fundações estaduais de amparo à pesquisa aderiram à chamada, sendo elas dos nove Estados da Amazônia Legal (Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Pará, Maranhão, Amapá, Tocantins e Mato Grosso), além das FAPs do Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Goiás, Pernambuco, Alagoas, Paraíba, São Paulo e Distrito Federal. Outras agências nacionais e internacionais ainda podem se somar à Chamada de Expedições Científicas até o dia 31 de dezembro de 2023.

“O Paraná abraçou a iniciativa desde o início e temos um grupo expressivo de pesquisadores paranaenses que, conjuntamente com pesquisadores da Amazônia, podem contribuir muito para o desenvolvimento desta região”, afirma o presidente da Agência Araucária Ramiro Wahrhaftig. O secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (Seti), Aldo Bona, destacou a participação do Paraná. “Ter pesquisadores paranaenses envolvidos em estudos e pesquisas sobre aquela biodiversidade é fundamental para contribuir com toda a política pública voltada à Amazônia Legal”, disse.

O EDITAL – As propostas devem ser voltadas para expedições científicas multidisciplinares na região da Amazônia por um período de até 36 meses e o valor mínimo de cada projeto contemplado será de R$ 400 mil – não havendo limite máximo. Dos R$ 59,2 milhões previstos nesta chamada, R$ 30 milhões serão alocados pelo CNPq exclusivamente para pesquisadores com vínculo formal com alguma instituição localizada em um dos Estados da Amazônia Legal.

Embora a Amazônia seja uma das maiores e mais intactas florestas do mundo, ela é também uma das menos conhecidas em termos biológicos. Seu tamanho imenso, sua diversidade e seus acessos limitados fazem com que a tarefa de documentar sua biodiversidade seja extremamente desafiadora. Além da questão espacial, também existem vieses taxonômicos nas pesquisas realizadas até o momento. A intenção é que a iniciativa ajude a superar essas lacunas. Além disso, o material coletado será catalogado e tombado em instituições amazônicas, como forma de preservação desse patrimônio.

“Demos um passo importante com essa iniciativa. Muitas vezes, a Amazônia recebia pesquisadores de outros Estados, de outros países e, muitas vezes, os próprios pesquisadores da região não participavam dos projetos – ou atuavam apenas como coadjuvantes. Houve um avanço nesse sentido com o primeiro edital lançado pela Iniciativa Amazônia+10, em 2022, e agora neste. Isso significa um trabalho de parceria, de pesquisa colaborativa, que leva em consideração o que os amazônidas pensam e o que têm”, explicou Márcia Perales, diretora-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM).

PRAZO – O prazo para submissão dos projetos é até o dia 29 de abril de 2024. O resultado final deve ser divulgado no dia 23 de agosto de 2024. O edital com todas as informações está no site  Amazônia +10 .

BENEFÍCIO DA SOCIEDADE – A dificuldade do acesso à energia elétrica em algumas regiões da Amazônia atrelada à falta de água encanada resulta na utilização de fontes de energia “sujas”, além de acarretar o aumento de doenças relacionadas ao consumo de água de baixa qualidade. Diante desta realidade, o projeto “Amazônia Sustentável – Promovendo a inclusão social pelo acesso à energia elétrica e água de qualidade de comunidades locais amazônicas” propõe desenvolver um sistema em escala piloto para geração de energia elétrica e tratamento de água, de modo a atender uma unidade familiar de quatro pessoas.

Contemplado na primeira edição da Iniciativa Amazônia +10, o projeto tem a participação da pesquisadora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Samara Silva de Souza e é desenvolvido em uma parceria com pesquisadores das universidades federais do Pará e Rural de Pernambuco. Dez projetos contemplados na primeira edição da Iniciativa +10 contam com a participação de pesquisadores paranaenses.

Outra proposta pretende apoiar os coletores de castanha-do-Brasil. O pesquisador da Universidades Estadual de Maringá (UEM), Lúcio Cardozo Filho, junto com pesquisadores da Universidade Federal do Mato Grosso e das universidades estaduais do Norte Fluminense e de Campinas, atua no projeto “Fortalecimento da cadeia de valor da castanha-do-Brasil: uma abordagem focada na Cooperativa dos Agricultores do Vale do Amanhecer (Juruena/MT)”.

“Um grande gargalo é que pagam para os coletores locais R$ 5 o quilo da castanha e para o consumidor final é vendido a R$ 80. O que estamos tentando é que esta comercialização seja mais justa. Estamos propondo estas melhorias para agregar valor ao produto que eles oferecem para que eles consigam um valor de mercado”, explica o professor Lúcio.

Fonte: AEN

Notícias Relacionadas:

Sem glúten ou lactose: análises do Tecpar ajudam pessoas com restrições alimentares
Sem glúten ou lactose: análises do Tecpar ajudam pessoas com restrições alimentares
Instituições de CT&I têm até 22 de fevereiro para aderir ao edital de apoio a ambientes inovadores
Instituições de CT&I têm até 22 de fevereiro para aderir ao edital de apoio a ambientes inovadores
Tecpar lança guia de análise de alimentos para ajudar laboratórios e universidades
Tecpar lança guia de análise de alimentos para ajudar laboratórios e universidades
Tecpar implanta novos ensaios que reduzem o tempo de análise laboratorial de alimentos
Tecpar implanta novos ensaios que reduzem o tempo de análise laboratorial de alimentos
Pesquisadores paranaenses levam ciência e inovação a crianças nas férias escolares
Pesquisadores paranaenses levam ciência e inovação a crianças nas férias escolares
Reta final: Tecpar busca novos parceiros na área de Cannabis para uso medicinal
Reta final: Tecpar busca novos parceiros na área de Cannabis para uso medicinal
Fundação Araucária investe na integração entre ciência, tecnologia e inovação
Fundação Araucária investe na integração entre ciência, tecnologia e inovação
Obra do laboratório de insumos veterinários do Tecpar chega a 15% de execução
Obra do laboratório de insumos veterinários do Tecpar chega a 15% de execução
Tecpar fornecerá 26 milhões de doses da vacina antirrábica veterinária ao governo federal
Tecpar fornecerá 26 milhões de doses da vacina antirrábica veterinária ao governo federal
Ministério da Saúde contrata Tecpar para fornecer de 26 milhões de doses de vacina antirrábica veterinária
Ministério da Saúde contrata Tecpar para fornecer de 26 milhões de doses de vacina antirrábica veterinária
Estado vai investir R$ 8 milhões em bolsas para grandes profissionais da ciência
Estado vai investir R$ 8 milhões em bolsas para grandes profissionais da ciência
Fundação Araucária publica edital para investir em editoras das instituições científicas
Fundação Araucária publica edital para investir em editoras das instituições científicas
Tecpar recebe homenagem da Assembleia Legislativa pelos 45 anos como empresa pública
Tecpar recebe homenagem da Assembleia Legislativa pelos 45 anos como empresa pública
Consulta pública da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação recebeu 414 contribuições
Consulta pública da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação recebeu 414 contribuições
Com 7,2 mil bolsas, Fundação Araucária bate recorde no apoio à pesquisa científica em 2023
Com 7,2 mil bolsas, Fundação Araucária bate recorde no apoio à pesquisa científica em 2023
Consulta pública sobre Política Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação encerra nesta sexta
Consulta pública sobre Política Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação encerra nesta sexta
Saúde dos peixes: UEL fará pesquisas para auxiliar piscicultores do Paraná
Saúde dos peixes: UEL fará pesquisas para auxiliar piscicultores do Paraná
Paraná articula cooperação científica e tecnológica para o ensino superior com o Japão
Paraná articula cooperação científica e tecnológica para o ensino superior com o Japão
Governo publica editais de R$ 34 milhões para apoiar ambientes de inovação no Paraná
Governo publica editais de R$ 34 milhões para apoiar ambientes de inovação no Paraná
Governo lança formulário para receber demandas de serviços tecnológicos em laboratórios
Governo lança formulário para receber demandas de serviços tecnológicos em laboratórios

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais