CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Mostra Afroentes ressalta, no Rio, linguagem de afeto e ancestralidade
© Giuliano Lucas/ Divulgação

Mostra Afroentes ressalta, no Rio, linguagem de afeto e ancestralidade

O multiartista gaúcho Giuliano Lucas abre sua primeira exposição individual no estado do Rio de Janeiro neste sábado (3), às 13h, no Sesc Caxias, na Baixada......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Mostra Afroentes ressalta, no Rio, linguagem de afeto e ancestralidade
© Giuliano Lucas/ Divulgação

O multiartista gaúcho Giuliano Lucas abre sua primeira exposição individual no estado do Rio de Janeiro neste sábado (3), às 13h, no Sesc Caxias, na Baixada Fluminense. A visitação irá de 6 de junho a 26 de agosto, de terça-feira a sábado, das 8h às 17h, e envolverá atividades gratuitas, que incluem debates, oficinas e palestras. Denominada Afroentes, a mostra tem obras do artista ao longo de 20 anos de produção artística.

A promoção tem uma linguagem que respeita uma narrativa sobre afeto e ancestralidade. O artista disse à Agência Brasil que a exposição “procura apresentar uma representação afirmativa das pessoas negras, através da fotografia.

O nome Afroentes vem do afeto e pensando nos ancestrais que criaram caminhos que a gente acaba percorrendo”, disse ele. A montagem foi feita por Everson Roque.

“A partir do trabalho do Januário, eu comecei a sonhar em me formar fotógrafo. Até então, não conhecia outro fotógrafo negro”, relatou o artista.

Foi então que ele começou a entender a representação de pessoas negras na fotografia e viu que era possível fazer uma foto diferente daquela que atrela pessoas negras à miséria, pobreza e violência.

“A fotografia do Januário tem uma potência muito grande de pensar nessa representação de forma afirmativa”, opinou. Várias frases de Januário Garcia Filho são célebres e geram impacto. Por exemplo: “Existe uma história de negro sem o Brasil; mas não existe uma história do Brasil sem negro”.

Diversidade

A iniciativa é bem diversa e exalta a representatividade negra e periférica. Com curadoria de Ingrid Noal e Estevão de Fontoura, a mostra conta com fotografias, instalações, lambe-lambe em grandes formatos, vídeos e filmes produzidos pelo artista.

Serão realizados debates, oficinas e palestras sobre produção artística, mercado e oportunidades de trabalho no setor cultural, além de compartilhar saberes, estratégias e experiências para a sustentabilidade da produção artística. Segundo Giuliano, a intenção é aproximar o público jovem para que ele possa entender que, através da arte, é possível exercer uma profissão remunerada.

“A nossa maior preocupação é apresentar para a galera que existe uma possibilidade, ainda que remota, porque a gente sabe que, no Brasil, as questões são muito balizadas por raça e por classe. Mas ainda assim, existe uma possibilidade. Eu quero mostrar para a galera mais jovem que nas artes, no cinema e no audiovisual, existe uma possibilidade de trabalho”, detalhou.

O artista é oriundo de Porto Alegre, onde as ruas acabaram sendo o grande lance para ele, que não encontrou espaço em museus e galerias. Daí a apresentação de técnicas de lambe-lambe, usadas em ações promocionais.

Pandemia

Durante a pandemia do novo coronavírus, Giuliano promoveu o #FRENTE – Festival Carioca de Fotografia Popular Emergente, selecionando 40 fotógrafos da periferia para expor em uma galeria virtual, visando incentivar as múltiplas produções de artistas e olhares que emergem do silenciamento social, econômico e cultural.

O festival teve, ainda, capacitações com ações pedagógicas e estratégias sobre como manter e gerenciar carreiras.

Os fotógrafos receberam noção de como gerenciar o trabalho, precificar, estabelecer vendas, redes sociais e marketing, além de desenhar um plano de carreira.

Fonte: Agência Brasil

Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais