CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Sônia Guajajara discute proteção de territórios indígenas no MS
© Fernando Frazão/Agência Brasil

Sônia Guajajara discute proteção de territórios indígenas no MS

Uma comitiva liderada pela ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, chegou hoje (18) ao Mato Grosso do Sul para debater medidas de proteção aos territórios indígenas......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Sônia Guajajara discute proteção de territórios indígenas no MS
© Fernando Frazão/Agência Brasil

Uma comitiva liderada pela ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, chegou hoje (18) ao Mato Grosso do Sul para debater medidas de proteção aos territórios indígenas que ficam no estado. Participam do grupo representantes da Secretaria-Geral da Presidência da República, da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), além de integrantes dos ministérios dos Direitos Humanos e da Cidadania e do Planejamento.

Na agenda, está prevista inicialmente a visita ao Território Laranjeira Nhanderu, que fica em Rio Brilhante, a 150 km da capital Campo Grande, onde a comitiva se reúne com o povo Guarani-Kaiowá para avaliar como está a situação no local. No fim da tarde, a ministra Sônia Guajajara vai encontrar o governador do estado, Eduardo Riedel, para alinhar estratégias e formas de proteger os povos indígenas.

A situação do povo Guarani-Kaiowá no Mato Grosso do Sul é historicamente marcada por conflitos sobre demarcação de territórios. No início do mês, a ministra Sônia notificou Riedel e pediu providências sobre a prisão de três lideranças indígenas. Eles foram detidos em uma ação da Polícia Militar ao ocuparem a região da Fazenda de Inho, no município de Rio Brilhante. A Funai conduz o processo de regularização fundiária na área. Segundo o Ministério dos Povos Indígenas, de forma inconstitucional, uma equipe da Funai foi impedida de acompanhar a ação policial. O protesto dos Guarani-Kaiowá foi apoiado pela pasta, por considerar que eles lutavam por um direito garantido em lei.

Fonte: Agência Brasil

Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais