CGN
Transitar reativa “fábrica de multas” e fatura R$ 13.2 milhões em 2022

Transitar reativa “fábrica de multas” e fatura R$ 13.2 milhões em 2022

Ao todo foram 132 mil notificações aplicadas no ano passado, grande maioria após a volta dos radares fixos ...

Publicado em

Por Fábio Wronski

Publicidade
Transitar reativa “fábrica de multas” e fatura R$ 13.2 milhões em 2022

Na semana passada, os Paranaenses começaram a pagar as taxas de IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e, muitos deles, receberam algumas ‘surpresinhas’.

Como todos sabem, para a expedição do licenciamento dos carros, motos, caminhonetes, caminhões e outros é necessário que todos os débitos estejam quitados.

Desta forma, muitas pessoas, ao consultam os registros dos veículos, encontram algumas ou várias multas que foram expedidas pela Autarquia de Trânsito de Cascavel.

Neste final de semana (21), foi publicado no Diário Oficial do Município de Cascavel os dados sobre a receita que foi arrecada pela Transitar com a cobrança de multas de trânsito no município.

Os dados são surpreendentes e mostram que o órgão mostrou muita vontade na confecção de notificações, principalmente no segundo semestre.

Pelas tabelas que foram divulgadas, é possível notar que nos primeiros seis meses do ano foram cadastradas 12.831 infrações de trânsito em Cascavel; uma média de 2.138 notificações por mês.

Nesta mesma imagem, averígua-se que, no mês de julho do ano passado, o número de multas aplicadas foi praticamente o mesmo que no primeiro semestre inteiro.

Ocorre que, no mês de julho do ano, os radares fixos voltaram a ser utilizados no município de Cascavel. Os equipamentos haviam sido desativados no mês de dezembro de 2021, após fim do contrato com a empresa que prestava serviço à Transitar.

Neste primeiro mês de operação, 23 pontos de fiscalização começaram a registrar as infrações dos motoristas e, no mês de setembro, o número de equipamentos foi ampliado para 47.

Com este aumento gradativo, a Transitar teve meses muito lucrativos com a produção de multas e no último semestre, salvo mês de outubro, foi batendo recorde atrás de recorde no número de notificações.

Como é visível na tabela, o número no mês de agosto subiu para 16.081, ante aos 12.497 de julho. Já em setembro foram 21.476; em outubro 21.022; novembro 23.989 e por fim, em dezembro, um recorde de 24.264 notificações.

Pois bem, aí você pode argumentar que o aumento no número de notificações é natural diante da volta dos radares fixos!? Sim, isto é uma análise compreensível, por isto, pegamos os dados do ano de 2021, quando o antigo contrato ainda estava em vigor.

Nos primeiros seis meses de 2021 foram aplicadas 27.828 multas, uma média de 4.638 notificações confeccionadas por mês no primeiro semestre. Este número é bem maior que as 12.831 infrações registradas no primeiro período do ano passado, quando não havia atuação dos radares fixos.

Comparando o segundo semestre de 2021, quando estavam instalados os equipamentos fixos de fiscalização, com os dados 2022, período com a volta dos equipamentos, a diferença é muito grande

Nos últimos seis meses de 2021 foram aplicadas 36.406 multas pela Transitar, uma média por mês de 6.067 notificações. Já no último semestre de 2022 foram produzidas 119.329 infrações, o que dá uma média de 19.888 multas/mês.

A elevação neste período entre os anos é de 327%, ou seja, a Transitar multou muito mais no último ano.

Agora, considerando os anos completos, mesmo que 2022 não havia atuação de radares fixos em todos os meses do ano (apenas seis), ainda assim ocorreu um grande aumento, mais que dobrando no número.

Em todo o ano passado foram aplicadas 132.160 infrações; nos 12 meses do ano de 2021, foram registradas 64.240 autuações pela Autarquia de Trânsito de Cascavel.

Todo este aumento no número de infrações trouxe um resultado “positivo” para conta da Transitar que, no ano passado, teve arrecadação de R$ 13.580.535,88. Destes, R$ 13.201.824,51 foram através das multas e outros R$ 385.262,87 decorrentes de aplicações financeiras.

Por outro lado, os gastos da Autarquia de Trânsito também foram altos e quase alcançaram a casa dos R$ 8 milhões. Destes, R$ 3.8 milhões foram gastos com serviços de terceiros, R$ 1.5 milhão com locação dos parquímetros, R$ 600 mil com locação de equipamentos de fiscalização eletrônica e outros; Veja:

Pela apresentação das Tabelas, é possível notar que sobrou ao Caixa da Transitar, no ano passado, o valor de R$ 5.822.746,10.

Whatsapp CGN 9.9969-4530 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais