CONECTE-SE CONOSCO

Cascavel

Falta do que fazer

Publicado

em

Por conta do radicalismo das furiosas patrulhas a serviço do “politicamente correto”, o mundo vai ficando cada dia mais chato e sem graça.

Qualquer coisa pode ser interpretada como discriminação sexual, racial, étnica, social ou insultante a grupos de pessoas vistos como desfavorecidos.

Uma das novas vítimas dos exageros do movimento é a peça do vestuário feminino consagrada pelo nome de “tomara que caia”, expressão agora acusada de sexista, que foi popularizada pela lendária e belíssima Rita Hayworth no célebre filme “Gilda”, de 1946, em que ela encarnou o icônico papel-título, eternizado na imagem abaixo postada.

Patrocinada pela rede de lojas Hering e estrelada pela atriz Mariana Ximenes, uma campanha publicitária está propondo que a roupa passe a ser chamada, pura e simplesmente, de “blusa sem alça”.

Explicação dela para justificar sua adesão à causa: “Acho que a gente tem de procurar ter uma sociedade mais igualitária, com mais respeito pela diversidade”.

Meus amigos, não tá fácil.

(Leia e compartilhe outras postagens acessando o site: caiogottlieb.jor.br)


Whatsapp CGN 9.9969-4530 - Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.

Clique aqui e participe do nosso grupo no whatsapp

Publicidade

Copyright 2020 CGN ® Todos os direitos reservados