CGN

Na ONU, premiê português reforça coro por Brasil no Conselho de Segurança

“Um Conselho de Segurança onde o continente africano, e pelo menos o Brasil e a Índia tenham assento”, disse. O presidente reiterou a necessidade de uma...

Publicado em

Por Agência Estado

Publicidade

O reforço do multilateralismo não é uma opção, mas “uma necessidade absoluta para fazer face aos desafios globais”, defendeu nesta quinta-feira, 22, o primeiro-ministro de Portugal, António Costa. Em discurso na 77ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, o líder português reforçou o coro para que o Conselho de Segurança da ONU tenha maior representatividade e visão abrangente.

“Um Conselho de Segurança onde o continente africano, e pelo menos o Brasil e a Índia tenham assento”, disse. O presidente reiterou a necessidade de uma agenda voltada para a prevenção de conflitos.

Em relação à invasão da Rússia à Ucrânia, o português disse se tratar de uma “flagrante violação do Direito Internacional” e afirmou ser necessária uma “investigação independente, imparcial e
transparente para que os crimes cometidos não passem impunes”. “Não podemos, por isso, deixar de condenar, uma vez mais, a agressão russa e aqui reforçar o apoio de Portugal à soberania, independência e integridade territorial da Ucrânia”. Costa afirmou ainda que este não é o momento para que Moscou escale ou conflito ou faça ameaças irresponsáveis do possível uso de armas nucleares.

Ainda quanto à segurança, o presidente disse ser “inegável” a ligação com o clima e que os efeitos das condições climáticas tem sido sentidos “como nunca”. “Esperamos que a COP-27, em Sharm-el-Sheik, possa ser um momento que nos conduza a uma transição inclusiva”, afirmou.

Whatsapp CGN 9.9969-4530 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais