CGN
Polícia aguarda laudo no caso do idoso envenenado em Apucarana
fonte: TNonline/Arquivo

Polícia aguarda laudo no caso do idoso envenenado em Apucarana

O próprio filho dele, um homem de 57 anos, seria o principalsuspeito do envenenamento. Ninguém foi preso até agora, segundo a PCPR.......

Publicado em

Por CGN 1

Publicidade
Polícia aguarda laudo no caso do idoso envenenado em Apucarana
fonte: TNonline/Arquivo

A Polícia Civil (PCPR) informou nesta quinta-feira (11) que aguarda o resultado delaudos complementares para esclarecer a morte do apucaranense Valter Alberto Pereira da Silva, de 82 anos, que morreu após supostamente ser envenenado. O idoso estava internado no Hospital da Providência desde 22 dejulho e morreu na última segunda-feira (8).

O próprio filho dele, um homem de 57 anos, seria o principalsuspeito do envenenamento. Ninguém foi preso até agora, segundo a PCPR.

Após passarpelo Instituto Médico Legal de Apucarana (IML), o corpo de Valter Alberto Pereira da Silva foi sepultado no Cemitério Portal do Céu na terça-feira (9). Não foi realizado velório a pedido da família. 

“A PCPR (Polícia Civil do Paraná) segue investigando o casoe aguarda laudos complementares que auxiliarão no andamento das diligências eesclarecimento do caso. Até o momento ninguém foi preso”, informou a PolíciaCivil em nota após pedido do TNOnline.

Relembreo caso

O idosocom sintomas de envenenamento deu entrada no Hospital da Providência, emApucarana, no dia 22 de julho, no final da tarde. Após os exames feitos pelaequipe médica, a intoxicação por veneno teria sido confirmada, segundo informou o boletim da Polícia Militar (PM).  Os médicos realizaramuma lavagem estomacal e o idoso ficou hospitalizado, em estado grave.  

Segundo a PM, que foi chamada ao hospital, os policiais chegaram a conversar com avítima e o idoso teriaapontado o filho dele, de 57 anos, como o autor do suposto envenenamento com chumbinho(veneno para matar ratos) . A vítima morava no Jardim Ponta Grossa. 

Repercussão

O caso gerou repercussão estadual. O deputado estadual Cobra Repórter (PSD), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, do Idoso e da Pessoa com Deficiência (Criai) da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), enviou na quarta-feira (10) um ofício para a delegacia da Polícia Civil de Apucarana, no qual solicita informações e pede rigor nas investigações do caso  em Apucarana. 

Leia a Matéria completa no site TN Online

Whatsapp CGN 9.9969-4530 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais