CGN
“Ela disse que ele está vegetando”, diz dona de cão sobre ameaças de protetora para tirar animal da família

“Ela disse que ele está vegetando”, diz dona de cão sobre ameaças de protetora para tirar animal da família

Conforme o relato de Karina, uma mulher que mora nas proximidades de sua residência e se diz protetora e representante de uma ONG, alegou que o...

Publicado em

Por Deyvid Alan

Publicidade

A CGN conversou na noite desta terça-feira (26), com Karina da Silveira Pacheco, que relatou uma situação complicada que tem vivenciado.

Conforme o relato de Karina, uma mulher que mora nas proximidades de sua residência e se diz protetora e representante de uma ONG, alegou que o animal está sofrendo maus-tratos.

Karina contou que pegou o cãozinho com uma semana de vida e hoje, com três meses de idade, Lobinho é tratado como um membro da família.

Segundo ela, a vizinha que se diz protetora, foi ao condomínio em que ela mora, invadiu o local e tirou fotos do animal, dizendo que ela seria denunciada e perderia o cão.

Ela também contou que quatro famílias moram no condomínio e por isso o animal fica dentro do imóvel, já que, como tomou as vacinas recentemente, ainda não pode ter contato com os outros animais que ficam soltos no terreno.

Hoje, novamente a mulher voltou à casa da família de Karina, teria entrado sem permissão e tirado novas fotos do animal dizendo que ele estava vegetando e mau cuidado.

Karina ressaltou que o animal é bem cuidado e que tem amor pelo bichinho. Ela destacou que diversos animais de rua estão passando fome e precisam de cuidados, atenção que pode ser dada pela tal protetora.

O que disse a protetora

A CGN esteve em contato com a protetora que apresentou outra versão para os fatos. Atuando na proteção de animais de rua e em situação de maus-tratos há bastante tempo, ela disse que apenas orientou a proprietária do animal que estava amarrado.

Segundo a protetora, após uma denúncia de um morador, ela foi ao local para verificar a situação e se deparou com o animal amarrado. Ela disse que conversou amistosamente com Karina e a orientou que o animal não poderia ficar preso na corrente, pois atualmente é considerado crime.

Por estar com diarreia, a protetora disse que era importante consultar o animal, mas a proprietária teria relatado que estava sem dinheiro, momento em que a protetora disse que conseguiria a vacinação e inclusive a castração com valores de ONG, podendo pagar em outro momento, inclusive.

A protetora ressaltou que em nenhum momento foi ao local para tirar o animal de Karina, já que as ONGs estão lotadas e não há motivos para retirar um animal, desde que ele não esteja em situação de maus-tratos. Ela evidenciou que quando voltou hoje à residência, o animal estava solto, tomado banho e com a vacina que ela havia orientado a proprietária e oferecido alternativas.

Ela também destacou que o trabalho das ONGs e dos protetores de animais é extremamente sério e que não pode ter a imagem “manchada” por conta de inverdades ou má interpretação. A protetora disse ainda que acredita que Karina tenha se sentido acuada, no entanto, a orientação e cobrança serviu para que o animal fosse solto e permanecesse em melhores condições.

Foto tira pela protetora após a denúncia do animal estar preso em corrente.

Em um comentário na página do Facebook da CGN, uma outra protetora se manifestou e reforçou o que já havia sido dito pela protetora envolvida no caso.

“Temos fotos e vídeos que comprova sim que o animal vivia e situação de maus-tratos. A Protetora que atendeu o caso tem como contestar tudo, chamou inclusive uma veterinária para atender o pet. O que ocorre é que a tutora do animal o mandou em uma agropecuária para dar uma vacina e um banho agora ele está solto, apenas depois da visita da protetora, então funcionou a denuncia. O que não podemos aceitar são ataques ao nosso trabalho. Quando tem um animal ferido , abandonado, mau-tratado ou que simplesmente está incomodando alguém, são as protetoras que são lembradas. A responsabilidade de cada animal é do seu tutor, ninguém vai implicar com um animal bem cuidado. Você tem a obrigação de manter no mínimo uma boa alimentação, vacinas , castração, higiene e bem estar do animal. Previsto no artigo penal maus-tratos é crime, a protetora fez a orientação ainda ofereceu ajuda, esperamos que a senhora tenha aprendido como se deve cuidar do seu pet. E se quiser aparecer na CGN, parabéns, poderia aparecer fazendo algo útil. Nós protetores somos voluntários, não é obrigação nossa salvar todos os animais, mas vamos continuar auxiliando”.

Whatsapp CGN 9.9969-4530 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais