CGN
DNIT encerra 2021 com diversas entregas pelo país
Foram diversas entregas por todo o Brasil que garantiram aos usuários mais segurança e conforto no tráfego pela malha viária sob jurisdição da Autarquia - Foto: DNIT

DNIT encerra 2021 com diversas entregas pelo país

Dos mais de 1,3 mil quilômetros contemplados, 449,48 quilômetros de rodovias foram restaurados, 193,8 quilômetros foram pavimentados, 538,62 foram recuperados/revitalizados e 205,9 quilômetros foram submetidos à......

Publicado em

Por Governo do Brasil

Publicidade
DNIT encerra 2021 com diversas entregas pelo país
Foram diversas entregas por todo o Brasil que garantiram aos usuários mais segurança e conforto no tráfego pela malha viária sob jurisdição da Autarquia - Foto: DNIT

Responsável pela manutenção, recuperação e construção de rodovias federais, a Diretoria de Infraestrutura Rodoviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DIR/DNIT) encerrou o ano com resultados positivos para os brasileiros: o país ganhou, em 2021, 1.387,80 quilômetros de rodovias novas e modernizadas. Foram diversas entregas por todo o Brasil que garantiram aos usuários mais segurança e conforto no tráfego pela malha viária sob jurisdição da Autarquia.

Dos mais de 1,3 mil quilômetros contemplados, 449,48 quilômetros de rodovias foram restaurados, 193,8 quilômetros foram pavimentados, 538,62 foram recuperados/revitalizados e 205,9 quilômetros foram submetidos à adequação. 

Uma das obras mais importantes da região Amazônica, a construção da Ponte sobre o Rio Madeira em Abunã, iniciada em 2014, foi entregue em maio, interligando o Acre e a Região Norte ao sistema rodoviário do país. Localizada no encontro dos rios Madeira e Abunã, no distrito de Vista Alegre do Abunã (RO), município de Porto Velho, a ponte tem 1.517 metros de extensão e recebeu investimentos de mais de R$ 160 milhões.

Desde a abertura da BR-364/RO, entre Rio Branco e Porto Velho, na década de 1980, a travessia sobre o Rio Madeira era feita por balsas e o trajeto entre as margens chegava a durar, em média, duas horas (entre a espera e a travessia). Agora, é possível cruzar o Rio Madeira em menos de cinco minutos. A obra é considerada fundamental para a integração nacional e, no futuro, fará parte do caminho que vai interligar o Brasil ao Oceano Pacífico.

Outra importante entrega foi a conclusão das obras remanescentes das variantes de Umirim e Frios, na BR-222/CE, retomadas em fevereiro de 2021. Paralisadas desde 2016, as variantes eram muito aguardadas pelos cearenses.

A Variante de Frios, entre o km 82 e o km 83, elimina um trecho sinuoso, com curvas bastante acentuadas, e uma passagem de nível com uma ferrovia existente no local. Já a Variante de Umirim, no trecho situado entre o km 87 e o km 92, visa redirecionar o tráfego, com a finalização das camadas de revestimento betuminoso e de recuperação de parte do pavimento que havia sofrido deterioração.

Após a conclusão e liberação das variantes, em outubro de 2021, a ligação pela BR-222/CE entre cidades como Fortaleza, Sobral e Tianguá tornou-se mais segura e mais confortável aos usuários.

No Ceará, o DNIT também liberou para o tráfego o viaduto da cidade de Horizonte, na BR-116/CE. A entrega elimina um ponto crítico na região metropolitana de Fortaleza, melhorando o acesso à cidade. O segmento em que se insere o viaduto pode ser utilizado por motoristas que seguem pela BR-116/CE com destino à área urbana do município e pelos veículos que saem de Horizonte e passam pela rodovia com destino ao sul do estado, até cidades como Russas e Limoeiro do Norte. 

Um dos principais corredores logísticos do Brasil, importante para exportação de produtos pelos portos do Sul e Sudeste, bem como para transporte de cargas destinadas ao consumo interno, a BR-163/364/MT teve as obras de duplicação e restauração concluídas em 2021.

Iniciadas em 2014 e com 168 quilômetros de extensão, as obras tiveram seu último segmento – junto ao perímetro urbano de Cuiabá – entregue em agosto. Em 2020, o Governo Federal já havia concluído dois contornos rodoviários, um em Juscimeira e outro em São Pedro da Cipa, além de um novo posto da Polícia Rodoviária Federal situado no km 388, na saída de Cuiabá em direção à Rondonópolis.

A entrega favorece a conexão com uma das maiores regiões produtoras de grãos do país, com tráfego pesado intenso. A duplicação aumenta a segurança rodoviária e reduz os tempos de viagem e custos de transporte, beneficiando o consumo nacional e aumentando a competitividade do produto brasileiro no mercado internacional.

No Rio de Janeiro, o DNIT entregou, também em 2021, as travessias urbanas dos municípios de Italva e Itaperuna, na BR-356/RJ. Para o município de Italva, a obra trouxe melhorias na pavimentação, drenagem e sinalização da rodovia, a implantação de um trevo na rodoviária, barreiras de segurança e galerias pluviais. Já para as obras de restauração no trecho de 8,8 quilômetros da BR-356/RJ, na travessia de Itaperuna, além de mais conforto e segurança, com ciclovia, novas calçadas e baias de estacionamento em pontos de ônibus, foram executadas melhorias na pavimentação e na drenagem.

Na BR-040/RJ, as ações de manutenção também são expressivas. Com o objetivo de restabelecer e preservar características técnicas e operacionais da rodovia, englobando serviços como recapeamento e reconstrução do pavimento existente, o DNIT contratou a restauração rodoviária para um segmento de 24,5 quilômetros da BR-040/RJ, entre Petrópolis e Pedro do Rio.

O segmento faz parte da Estrada União Indústria, considerada a primeira rodovia do Brasil a ser pavimentada com a tecnologia macadame. A histórica rodovia foi inaugurada em 1861 por D. Pedro II para o transporte de mercadorias na rota que partia de Petrópolis em direção ao rio Paraíba.

O DNIT já concluiu mais de 14 quilômetros de restauração, além da execução de serviços de drenagem e instalação de equipamentos de segurança viária, como defensas metálicas e sinalização.

Estratégica para Santa Catarina, a duplicação da BR-470/SC é um dos empreendimentos mais importantes em andamento atualmente. A obra permite o escoamento dos produtos agropecuários do interior do estado aos portos de exportação do Sul do país, como o de Navegantes. Além disso, a rodovia conecta-se à BR-101, eixo de integração de Norte a Sul, viabilizando o acesso aos portos de Itajaí e São Francisco do Sul.

O empreendimento abrange também a restauração da pista existente, implantação de ruas laterais, recuperação, reforço, reabilitação e construção de obras de arte especiais. As obras se estendem por 73,18 quilômetros, divididos em 4 lotes.

Só em 2021, foram entregues o viaduto de acesso aos municípios de Indaial e Timbó, no km 68, em janeiro, e mais 9,7 quilômetros duplicados em maio. Com as entregas, já foram liberados ao tráfego 27,6 quilômetros de pistas duplicadas e restauradas. Um dos trechos mais aguardados da duplicação da BR-470/SC, o Complexo da Mafisa, foi entregue em 2020, consistindo na adequação do entroncamento da rodovia federal com a SC-108, no km 51, além de ser o principal trevo de acesso para a cidade de Blumenau.

O DNIT também executa as obras de duplicação e restauração da BR-101/NE, nos estados de Bahia, Sergipe e Alagoas. A conclusão deste empreendimento aumentará a integração nacional e estimulará o turismo, além de desenvolver centros consumidores e fomentar o comércio regional.

Grandes avanços foram obtidos nas obras em 2021. Em Sergipe, foram entregues o encabeçamento da ponte sobre o Rio São Francisco, bem como dois quilômetros de duplicação, em janeiro, e outros 5,1 quilômetros em março. Na Bahia, foram entregues 22 quilômetros descontínuos, em abril, e outros 4,14 quilômetros em setembro.

O DNIT executa as obras do Complexo Viário do Gancho do Igapó para promover melhorias na trafegabilidade e aumentar o conforto e segurança no principal corredor urbano de Natal, no qual circulam cerca de 50 mil veículos/dia e que cruzava em nível com a BR-101/406/RN.

O empreendimento é composto pela execução de serviços de adequação de capacidade, construção do Viaduto do Gancho, dois túneis, readequação de uma rotatória, restauração e segurança de tráfego na BR-101, entre os km 81,10 ao km 83,40, numa extensão de 2,6 quilômetros.

Com a liberação parcial do viaduto do Gancho do Igapó, em janeiro, não é mais necessário utilizar desvios para os fluxos de veículos que circulam nos sentidos Ceará-Mirim ao Centro de Natal e vice-versa. Após a entrega, as equipes do DNIT trabalham na conclusão do sistema de drenagem (Tunnel Liner), necessário à execução de um túnel no nível inferior em formato de “Y”, perpendicular ao viaduto, no sentido Igapó – São Gonçalo.

Em 2021, o DNIT priorizou o trabalho de manutenção das rodovias e, assim, cobriu mais de 94% dos 53,6 mil quilômetros pavimentados da malha federal com contratos de manutenção.

E para manter o nível de eficiência das estradas que são utilizadas para o escoamento de 75% da produção no país, o DNIT, em 2021, não mediu esforços para priorizar os serviços nessas vias. Desta forma, as estradas dos 26 estados e o Distrito Federal receberam uma série de serviços rotineiros de conservação e de recuperação.

Com informações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes

Whatsapp CGN 9.9969-4530 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais