CONECTE-SE CONOSCO

Paraná

Assistência de acusação diz que Allana descumpriu medidas cautelares e pede para que ela volte para prisão

Defesa nega descumprimento e afirma que uma “mentira” está sendo usada para “conturbar” o processo…

Publicado

em

O advogado Nilton Ribeiro, que atua na assistência de acusação do Caso Daniel, fez um pedido à Justiça de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, para que Allana Brittes volte para a prisão. No pedido, protocolado nesta sexta-feira (7), ele alega que a jovem descumpriu duas medidas cautelares impostas pela juíza Luciani Regina Martins de Paula. A defesa de Allana nega o descumprimento e afirma que uma “mentira” está sendo usada para “conturbar” o processo.

No pedido, Ribeiro cita duas fotos postadas por Allana nas redes sociais, sendo uma delas tirada em Porto Belo, no Litoral de Santa Catarina.

“Dentre esses compromissos está o de proibição de acesso ou frequência a bares e casas noturnas. Ocorre que a Ré tem sistematicamente ignorado essas proibições e frequentado bares na capital paranaense (…) Outra proibição é a de ausentar-se da Comarca sem autorização judicial. Todavia, mesmo com a proibição, a Ré esteve em Santa Catarina, na localidade de Porto Belo”, afirma a assistência de acusação no pedido.

Allana deixou a prisão em agosto, após ter a concessão unânime de habeas corpus pela 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Entre as medidas cautelares impostas a ela está o comparecimento periódico bimestral em juízo; a proibição de acesso ou frequência a bares e casas noturnas; a proibição de manter contato com testemunhas e demais partes do processo; e proibição de ausentar-se da região metropolitana de Curitiba.

A jovem responde pelos crimes de fraude processual, corrupção de menores e coação no curso do processo que investiga a morte do jogador Daniel Corrêa Freitas.

Outro lado

Advogado de defesa de Allana, Claudio Dalledone rebateu as acusações.

“Isso tudo é mentira, é um grande frenesi, já que a Allana cumpre rigorosamente todas as determinações judiciais. Eles juntam duas fotografias que fazem parte do passado, uma em um centro gastronômico, que nada tem a ver com bar, e outra do passado, que a legenda indica que foi tirada em 2018. Nós estamos buscando a liberdade de Edison Brittes e tudo isso é um jogo de cena para conturbar a boa condução. Tenho certeza que a juíza vai rechaçar o pedido, uma vez que as questões são inverídicas”, disse.

Com o questionamento da reportagem, a defesa enviou um print do celular da Allana em que mostra a data que a foto teria sido tirada (12 de outubro de 2018).

O caso

O jogador Daniel Corrêa Freitas foi encontrado morto na manhã de 27 de outubro, na zona rural de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Ex meia de Coritiba e São Paulo, ele atualmente atuava no São Bento, time da série B do Campeonato Brasileiro. De acordo com a polícia, foi assassinado após participar da festa de aniversário de 18 anos de Allana em uma boate de Curitiba. Depois da comemoração, alguns convidados seguiram para a casa da garota, incluindo Daniel, em São José dos Pinhais.

Na residência, o pai de Allana, Edison Brittes, iniciou uma sessão de espancamento contra Daniel após ter visto o jogador em seu quarto, onde sua mulher Cristiana Brittes dormia. O atleta apanhou de vários homens até ser levado de carro por Edison, David William Vollero Silva, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva e Ygor King até a Colônia Mergulhão.

As informações são da Banda B.


Whatsapp CGN 9.9969-4530 - Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.

Clique aqui e participe do nosso grupo no whatsapp

Publicidade

Copyright 2019 CGN ® Todos os direitos reservados Contato