CONECTE-SE CONOSCO

Cascavel

O bem que vem do mal – por Caio Gottlieb

Publicado

em

Desmentindo as línguas maledicentes que vivem apregoando que o Brasil, por conta das brigas políticas e inconstâncias econômicas, teria perdido o interesse dos investidores estrangeiros, eis que uma grande companhia norte-americana acaba de anunciar seus planos de instalar uma indústria no país.

Trata-se de uma forte competidora em um negócio que deverá movimentar em âmbito mundial cerca de 166 bilhões de dólares por ano até 2025: o mercado da maconha.

Pausa porque o lado galhofeiro da nota termina aqui. A notícia é séria e é muito boa.

Tão logo obtenha o registro e promova o lançamento de seu produto, previstos para outubro, o grupo Medical Marijuana, presente no país desde 2014 através da subsidiária HempMeds, que atua na importação de medicamentos à base de maconha, liberados recentemente pela Anvisa para venda em farmácias e drogarias, pretende construir uma fábrica para produzi-los em território nacional, o que também está permitido desde que os insumos sejam trazidos de fora, já que o plantio da erva ainda é ilegal.

Embora a planta seja um entorpecente tão perigoso e viciante como qualquer outro, as substâncias que compõem o seu princípio ativo constituem-se em poderosos, e muitas vezes únicos, remédios disponíveis para tratar diversas doenças graves e raras.

Esse é o melhor “barato” da velha cannabis sativa.

(Leia e compartilhe outras postagens acessando o site: caiogottlieb.jor.br)


Whatsapp CGN 9.9969-4530 - Canal direto com nossa redação - Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.

Participe do nosso grupo no whatsapp

Publicidade

Copyright 2020 CGN ® Todos os direitos reservados