CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Com 12,2 mil acidentes somente neste ano, Saúde alerta para o risco de quedas de idosos
Foto: Valdelino Pontes/SECID

Com 12,2 mil acidentes somente neste ano, Saúde alerta para o risco de quedas de idosos

Escorregões, tropeços, passos em falso e falta de equilíbrio são as causas mais frequentes de quedas de pessoas acima de 60 anos. Com um grau mais......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Com 12,2 mil acidentes somente neste ano, Saúde alerta para o risco de quedas de idosos
Foto: Valdelino Pontes/SECID

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) registraram, somente nos primeiros seis meses do ano, 11.856 ocorrências por quedas de pessoas entre 60 e 103 anos, no Paraná. No Samu foram 8.096 atendimentos e no Siate 3.070. Além dos chamados de urgência, houve ainda 1.052 atendimentos na Atenção Primária à Saúde pelo mesmo motivo. Em 2023, o número ultrapassou 30 mil registros.

Escorregões, tropeços, passos em falso e falta de equilíbrio são as causas mais frequentes de quedas de pessoas acima de 60 anos. Com um grau mais leve ou grave, elas são comuns nessa faixa etária e podem acarretar sérias consequências ou ainda deixar sequelas, comprometendo a qualidade de vida. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) chama a atenção da população em geral, profissionais de saúde e cuidadores para esse cenário.

De acordo com o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde, no ano passado 1.214 pessoas idosas no Estado perderam a vida em decorrência das quedas, sejam elas de mesmo nível ou de nível elevado. Desse total, 163 tinham entre 60 e 69 anos; 271 entre 70 e 79 anos e 780 pessoas acima de 80 anos.

Ainda em 2023, o 192 do Samu foi acionado 15.861 vezes no atendimento específico para queda de pessoas idosas. Já o 193 do Siate recebeu 12.288 chamados durante o mesmo período, e na APS foram 2.758, totalizando 30.907 atendimentos.  

“Os serviços de urgência e emergência do Estado recebem mais de 40 chamados por dia da própria pessoa que sofreu a queda, de familiares ou vizinhos. O atendimento ao trauma é feito pensando na agilidade e cuidado aos pacientes que necessitam do nosso serviço, com cobertura de 100% do território paranaense”, enfatizou a gerente de Atenção à Urgência da Sesa, Giovana Fratin.

Segundo a médica geriatra da Divisão de Atenção à Saúde do Idoso da Sesa, Caren Cristiane Muraro, a queda é bastante comum, mas que não deve ser um acontecimento normal do envelhecimento.

“Uma simples queda pode camuflar algo que não está bem, pode ser um reflexo de algo maior. Por isso, nunca se deve omitir a sua ocorrência à família e aos profissionais de saúde”, afirma Cristiane Muraro. “Pode ser um sinal de um possível indicativo de fragilidades físicas e até doença aguda, contribuindo para esse número expressivo de acidentes que ocorrem todos os dias no Paraná”, disse.

Delvair Piovesan Soligo, de 87 anos, reside em Renascença, no Sudoeste do Paraná. Em janeiro deste ano ela sofreu uma fratura do fêmur e teve que passar por uma cirurgia. O motivo para o procedimento: uma queda em casa, quando ia pegar o celular. A neta Samyra Soligo Rovani conta que a avó perdeu o equilíbrio e em poucos segundos tudo aconteceu.

“Minha avó teve um acidente aascular cerebral há um ano, que deixou algumas sequelas. Por ter uma cardiopatia, após a queda, a levamos diretamente para o hospital. Lá constataram a necessidade da cirurgia na perna. Apesar de algumas complicações no pós-operatório, atualmente ela está bem”, conta a neta.

De acordo com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), do Ministério da Saúde (MS), os fatores de risco que mais se associam às quedas são: idade avançada; história prévia de quedas; imobilidade; baixa aptidão física; fraqueza muscular de membros inferiores; fraqueza do aperto de mão; equilíbrio diminuído; marcha lenta com passos curtos; dano cognitivo; doença de Parkinson; sedativos, hipnóticos, ansiolíticos e polifarmácia.

“Notamos que esse número tem prevalência em mulheres, que correspondem a mais da metade dos acidentes. Doenças como a osteoporose, a miopia ou a presença de catarata, diabetes, labirintite, também podem contribuir para a diminuição da locomoção e insegurança da pessoa idosa”, ressaltou a médica Cristiane Muraro.

DICAS DE PREVENÇÃO – Além das quedas, existem outros perigos que, apesar de menos frequentes, também fazem parte deste cenário, como queimaduras, choques elétricos, acidentes com animais, ferimentos com instrumentos cortantes e intoxicações. A residência é o local onde a maioria das quedas e outros acidentes acontecem.  

É importante conhecer e corrigir os riscos ambientais; ingerir líquidos e manter alimentação saudável; evitar comportamentos de risco; realizar avaliações periódicas de saúde incluindo visão e audição; usar sempre os óculos, aparelho de audição e de auxílio à marcha (bengalas, andador) quando recomendados; usar somente medicamentos prescritos pelo médico (revisados periodicamente, eliminando ou substituindo os que podem contribuir para ocorrência de quedas), além de fazer exercícios regularmente.

TRABALHO PERMANENTE – Com uma população de aproximadamente 1,9 milhão de habitantes acima de 60 anos, o Paraná tem ampla gama de políticas da saúde voltadas à população idosa. As estratégias possibilitam não somente melhorar a qualidade de vida desse público, mas também auxiliar equipes médicas para garantir melhor atendimento em todo o Estado.

Essencialmente voltado à prevenção de quedas, a Sesa, em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR), disponibiliza o Manual de Prevenção de Quedas de Idosos, que aborda vários riscos e apresenta medidas preventivas essenciais para garantir a segurança dos idosos em suas residências.

“O projeto Envelhecer com Saúde no Paraná norteia nossos trabalhos, ações e iniciativas às pessoas idosas no Estado. Mantemos um olhar atento às pessoas dessa faixa etária e sabemos da importância em aprimorar nossas políticas públicas voltadas a elas”, enfatizou Maria Goretti Lopes, diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa. “Capacitamos nossos profissionais, assim como temos muito material de apoio que pode servir de suporte e que orienta as famílias e cuidadores”, acrescentou.

ENCONTRO ONLINE – Nesta quinta-feira (20), às 14h, a Secretaria da Saúde e o Conselho Estadual de Direitos da Pessoa Idosa promovem, com apoio da Escola de Saúde Pública do Paraná, um encontro online com o tema “Quedas e Acidentes Domésticos com Pessoas Idosas: Podemos Prevenir”.  O público-alvo são pessoas idosas e seus cuidadores. Para participar é só clicar AQUI ou acessar este link.

Fonte: AEN

Notícias Relacionadas:

Em seis meses, Lacen processa 13.298 amostras de vírus respiratórios
Em seis meses, Lacen processa 13.298 amostras de vírus respiratórios
Estado investe R$ 100 milhões em vigilância em saúde e combate à dengue no semestre
Estado investe R$ 100 milhões em vigilância em saúde e combate à dengue no semestre
Experiência bem-sucedida, Telessaúde Paraná é tema de encontro da região Sul
Experiência bem-sucedida, Telessaúde Paraná é tema de encontro da região Sul
Estado define estratégias com municípios para aumentar cobertura vacinal
Estado define estratégias com municípios para aumentar cobertura vacinal
Paraná envia mais de 1,3 milhão de unidades de medicamentos ao Rio Grande do Sul
Paraná envia mais de 1,3 milhão de unidades de medicamentos ao Rio Grande do Sul
Secretaria da Saúde confirma mais 13.049 casos e 23 óbitos por dengue no Paraná
Secretaria da Saúde confirma mais 13.049 casos e 23 óbitos por dengue no Paraná
HR produz pelo SUS próteses faciais que recuperam autoestima dos pacientes
HR produz pelo SUS próteses faciais que recuperam autoestima dos pacientes
Imunossuprimidos: conheça sintomas, cuidados e saiba quem faz parte deste grupo
Imunossuprimidos: conheça sintomas, cuidados e saiba quem faz parte deste grupo
Paraná cria força-tarefa com apoio de municípios para aumentar coberturas vacinais
Paraná cria força-tarefa com apoio de municípios para aumentar coberturas vacinais
Saúde contrata mais 66 novos profissionais selecionados por meio de PSS
Saúde contrata mais 66 novos profissionais selecionados por meio de PSS
Samu atendeu 15 mil paranaenses a mais no primeiro semestre deste ano
Samu atendeu 15 mil paranaenses a mais no primeiro semestre deste ano
Senacon notifica planos de saúde após cancelamentos unilaterais
Senacon notifica planos de saúde após cancelamentos unilaterais
Biofábrica Wolbachia: Londrina e Foz do Iguaçu terão nova tecnologia de combate à dengue
Biofábrica Wolbachia: Londrina e Foz do Iguaçu terão nova tecnologia de combate à dengue
Hospital Zona Norte de Londrina zera fila de cirurgias de pacientes com hanseníase
Hospital Zona Norte de Londrina zera fila de cirurgias de pacientes com hanseníase
Sesa inicia atividades do PlanificaSUS Saúde Mental para a Macrorregião Norte
Sesa inicia atividades do PlanificaSUS Saúde Mental para a Macrorregião Norte
“Estamos muito aquém do que se faz nas redes de direita”, diz Nísia
“Estamos muito aquém do que se faz nas redes de direita”, diz Nísia
Boletim semanal da dengue registra 18.306 novos casos e 15 óbitos no Paraná
Boletim semanal da dengue registra 18.306 novos casos e 15 óbitos no Paraná
Saúde monitora serpentes no Estado e garante soro que neutraliza ação do veneno
Saúde monitora serpentes no Estado e garante soro que neutraliza ação do veneno
Férias: atualizar a carteira de vacinação protege crianças e jovens em passeios e viagens
Férias: atualizar a carteira de vacinação protege crianças e jovens em passeios e viagens
Secretaria da Saúde vai incentivar adesão a programa que agiliza exames e consultas especializadas
Secretaria da Saúde vai incentivar adesão a programa que agiliza exames e consultas especializadas
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais