CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Gaeco cumpre mandados em investigação sobre participação de agentes públicos na concessão de benefícios a presos

Gaeco cumpre mandados em investigação sobre participação de agentes públicos na concessão de benefícios a presos

De acordo com as investigações, o esquema criminoso funcionaria no cartório da Vara de Execuções Penais, Medidas Alternativas e Corregedoria dos Presídios do Foro Central de......

Publicado em

Por Ministério Público do Paraná

Publicidade
Imagem referente a Gaeco cumpre mandados em investigação sobre participação de agentes públicos na concessão de benefícios a presos

O Ministério Público do Paraná, por meio do Núcleo de Londrina do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou nesta quinta-feira, 13 de junho, a Operação Antártida, com o cumprimento de 19 mandados de busca e apreensão e duas imposições de medidas cautelares diversas da prisão em investigação sobre o possível envolvimento de dois agentes públicos na concessão de benefícios indevidos a presos em cumprimento de pena em Londrina. São investigadas possíveis práticas de corrupção passiva e ativa.

De acordo com as investigações, o esquema criminoso funcionaria no cartório da Vara de Execuções Penais, Medidas Alternativas e Corregedoria dos Presídios do Foro Central de Londrina e no Patronato Penitenciário de Londrina, órgão vinculado ao Departamento Penitenciário (Depen). Entre os benefícios indevidos possivelmente concedidos pelos servidores investigados – um analista judiciário e um servidor lotado no Patronato Penitenciário –, estão a progressão antecipada de regime, o livramento condicional, a agilização de processos judiciais e a omissão de expedição de mandado de prisão, entre outros.

Ilícitos – Um dos ilícitos penais apurados refere-se à instauração, pelo analista judiciário investigado, de um livramento condicional que beneficiaria um integrante de organização criminosa e o seu trâmite célere na Vara de Execuções Penais. Apura-se se teria ocorrido o pagamento de vantagem indevida ao agente público sob investigação. As investigações procuram ainda esclarecer se o servidor público à época lotado no Patronato Penitenciário receberia “propina” para elaborar relatórios que instruíam os pedidos de benefícios na execução penal, passar informações privilegiadas a familiares de presos e intermediar a oferta e o pagamento de vantagens indevidas ao servidor lotado no cartório da Vara de Execuções Penais.

Também há a suspeita de participação de um ex-custodiado que atuaria como elo entre os presos do sistema carcerário e os servidores públicos. As negociações e os assuntos relacionados ao trâmite dos processos judiciais eram tratados pessoalmente ou por aplicativo de mensagem.

Omissão – As investigações também buscam esclarecer possível ato de corrupção na omissão de expedição de mandado de prisão contra um traficante que atuava na região de Londrina. Ele foi condenado a mais de 12 anos de reclusão pelo crime de tráfico ilícito de entorpecentes, com sentença condenatória transitado em julgado. Nesse caso, o Juízo da Vara de Execuções Penais teria determinado a expedição de mandado de prisão, mas o servidor público investigado teria deixado de cumprir seu dever e permanecido por mais de dois anos sem cumprir a ordem judicial. Somente após deflagrada a operação pelo Gaeco, com nova determinação judicial, os autos do processo foram movimentados e expedido o mandado de prisão.

Quebras – Além dos mandados de busca e apreensão, o Gaeco solicitou a quebra de sigilos bancário, fiscal e telemático dos envolvidos – pedido deferido pelo Juízo da 3ª Vara Criminal de Londrina. Aos dois servidores públicos alvos da operação foram aplicadas as seguintes medidas cautelares proibição de acesso e frequência a qualquer unidade judiciária e/ou vinculadas ao Sistema Penitenciário do Estado do Paraná, exceto quando forem intimados a comparecer; proibição de manterem contato entre si e com outros investigados e testemunhas dos fatos noticiados; suspensão do exercício das funções públicas.

Processo número 0030708-33.2024.8.16.0014

[email protected]

Fonte: MPPR

Notícias Relacionadas:

Réus denunciados pelo Ministério Público do Paraná por morte na Cadeia Pública de Cascavel são sentenciados pelo Tribunal do Júri a 25 anos de prisão cada um
Réus denunciados pelo Ministério Público do Paraná por morte na Cadeia Pública de Cascavel são sentenciados pelo Tribunal do Júri a 25 anos de prisão cada um
Réus denunciados pelo MPPR por morte na Cadeia Pública de Cascavel são sentenciados em Júri a 25 anos de prisão cada um
Réus denunciados pelo MPPR por morte na Cadeia Pública de Cascavel são sentenciados em Júri a 25 anos de prisão cada um
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena a 13 anos e 4 meses de prisão homem denunciado pelo Ministério Público do Paraná por tentativa de feminicídio e ameaça
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena a 13 anos e 4 meses de prisão homem denunciado pelo Ministério Público do Paraná por tentativa de feminicídio e ameaça
Em Cianorte, Ministério Público do Paraná oferece denúncia por usura, extorsão e associação criminosa contra oito pessoas investigadas a partir da Operação Abutre
Em Cianorte, Ministério Público do Paraná oferece denúncia por usura, extorsão e associação criminosa contra oito pessoas investigadas a partir da Operação Abutre
Réu denunciado pelo MPPR em Guarapuava por tentar matar a mulher a tiros na frente do filho pequeno é condenado em Júri a oito anos de prisão
Réu denunciado pelo MPPR em Guarapuava por tentar matar a mulher a tiros na frente do filho pequeno é condenado em Júri a oito anos de prisão
MPPR e Polícia Militar deflagram em Cornélio Procópio a Operação Dark Shield e cumprem mandados contra investigado por tráfico de drogas e lavagem de capitais
MPPR e Polícia Militar deflagram em Cornélio Procópio a Operação Dark Shield e cumprem mandados contra investigado por tráfico de drogas e lavagem de capitais
Tribunal do Júri de Cascavel condena dois réus denunciados pelo Ministério Público do Paraná por homicídio cometido em posto de combustíveis em 2020
Tribunal do Júri de Cascavel condena dois réus denunciados pelo Ministério Público do Paraná por homicídio cometido em posto de combustíveis em 2020
MPPR em Piraquara oferece denúncia contra dois policiais civis e um advogado investigados por tráfico de drogas e vários outros crimes
MPPR em Piraquara oferece denúncia contra dois policiais civis e um advogado investigados por tráfico de drogas e vários outros crimes
Atuação do MPPR resulta na condenação a 31 anos de prisão de integrante de organização investigada na Operação Praia Brava
Atuação do MPPR resulta na condenação a 31 anos de prisão de integrante de organização investigada na Operação Praia Brava
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena réu denunciado pelo Ministério Público do Paraná por homicídio qualificado a 23 anos e 9 meses de prisão
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena réu denunciado pelo Ministério Público do Paraná por homicídio qualificado a 23 anos e 9 meses de prisão
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena homem por homicídio qualificado a 23 anos e 9 meses de prisão
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena homem por homicídio qualificado a 23 anos e 9 meses de prisão
Ministério Público do Paraná denuncia por homicídio com dolo eventual motorista que atropelou e matou ciclista em Marialva ao dirigir embriagado em alta velocidade
Ministério Público do Paraná denuncia por homicídio com dolo eventual motorista que atropelou e matou ciclista em Marialva ao dirigir embriagado em alta velocidade
Ministério Público do Paraná oferece denúncia criminal contra dois irmãos que ameaçaram e agrediram a irmã transexual e a própria mãe em Piraquara
Ministério Público do Paraná oferece denúncia criminal contra dois irmãos que ameaçaram e agrediram a irmã transexual e a própria mãe em Piraquara
MP denuncia dois irmãos que ameaçaram e agrediram a irmã transexual e a própria mãe
MP denuncia dois irmãos que ameaçaram e agrediram a irmã transexual e a própria mãe
Judiciário condena 14 pessoas denunciadas pelo MPPR em Paranaguá por desvio de indenizações pagas a pescadores
Judiciário condena 14 pessoas denunciadas pelo MPPR em Paranaguá por desvio de indenizações pagas a pescadores
Judiciário condena 14 pessoas denunciadas pelo MPPR em Paranaguá por desvio de indenizações pagas a pescadores
Judiciário condena 14 pessoas denunciadas pelo MPPR em Paranaguá por desvio de indenizações pagas a pescadores
Judiciário recebe denúncia criminal contra ex-prefeito e secretário de Licitações de Iporã por morte e lesão causadas em dois trabalhadores em obra do Município
Judiciário recebe denúncia criminal contra ex-prefeito e secretário de Licitações de Iporã por morte e lesão causadas em dois trabalhadores em obra do Município
Delegado denunciado pelo MPPR por matar esposa e enteada em Curitiba é condenado no Júri a 38 anos e 10 meses de prisão
Delegado denunciado pelo MPPR por matar esposa e enteada em Curitiba é condenado no Júri a 38 anos e 10 meses de prisão
Delegado denunciado pelo MPPR por matar esposa e enteada em Curitiba é condenado no Júri a 38 anos e 10 meses de prisão
Delegado denunciado pelo MPPR por matar esposa e enteada em Curitiba é condenado no Júri a 38 anos e 10 meses de prisão
Tribunal do Júri de Matelândia condena a 16 anos de prisão homem denunciado pelo MPPR pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver
Tribunal do Júri de Matelândia condena a 16 anos de prisão homem denunciado pelo MPPR pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais