CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Governador sanciona lei que institui política de segurança hídrica na agricultura no Paraná
02/03 - produção e processo da batata. Foto: Gilson Abreu/AENFoto: Gilson Abreu/AEN

Governador sanciona lei que institui política de segurança hídrica na agricultura no Paraná

A proposição e execução das ações serão feitas pelo Sistema Estadual de Agricultura (Seagri). A lei prevê também a possibilidade de adoção de subvenção econômica a......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Governador sanciona lei que institui política de segurança hídrica na agricultura no Paraná
02/03 - produção e processo da batata. Foto: Gilson Abreu/AENFoto: Gilson Abreu/AEN

O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou nesta terça-feira (04) a

Lei 21.994/2024

, que cria o Programa Estadual de Segurança Hídrica na Agricultura. A lei foi proposta pelo Executivo e aprovada pela Assembleia Legislativa. Com essa medida, a segurança hídrica ganha força de política pública e um maior incentivo na adoção de práticas de preservação, conservação e produção de água por parte dos agricultores e suas organizações.

A proposição e execução das ações serão feitas pelo Sistema Estadual de Agricultura (Seagri). A lei prevê também a possibilidade de adoção de subvenção econômica a agricultores familiares, suas cooperativas ou organizações, e a empreendedores rurais, respeitando-se a disponibilidade orçamentária.

“A formalização dessa política pública é fundamental para a elaboração de medidas de precaução e enfrentamento a eventuais impactos causados por eventos climáticos adversos, tanto os naturais como aqueles decorrentes de fatores relacionados às mudanças climáticas globais”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Com isso fortalecemos a pretensão do Estado de garantir o abastecimento de alimentos e a produção de insumos para a indústria”.

O programa busca a implantação e valorização de práticas e procedimentos que garantam usos múltiplos da água em mananciais de interesse público, além da redução da escassez de recursos hídricos disponíveis para a população e para o setor produtivo em períodos de déficit hídrico, assegurando a todos o abastecimento adequado, tanto em quantidade como em qualidade.

Também se propõe a implantar tecnologia de proteção, recuperação e conservação dos recursos naturais, visando à melhoria do meio ambiente, consumo consciente de água, aumento da disponibilidade hídrica e melhoria da qualidade em seus atributos físicos, químicos e biológicos.

O compromisso do Programa Estadual de Segurança Hídrica na Agricultura é garantir igualmente que, mesmo nos períodos de déficit hídrico, haja continuidade da produção agrícola, da obtenção de renda pelo agricultor, do abastecimento e segurança alimentar. A promoção de ações de educação ambiental e de sistemas de produção mais sustentáveis também está entre os objetivos.

AÇÕES – O Estado pretende utilizar como ferramentas para a realização dos objetivos o zoneamento agrícola de risco climático; a fiscalização sanitária animal, vegetal e de uso do solo; a extensão rural, assistência técnica e pesquisa agrícola; os sistemas de informações agrícolas e climáticas; o crédito rural; a capacitação técnica e o monitoramento da qualidade da água.

As ações a serem propostas estarão focadas na proteção de nascentes e seu entorno, na reservação e uso racional da água, na irrigação, saneamento rural e no atendimento emergencial ao agricultor em caso de eventos climáticos de magnitude e que podem afetar significativamente a sua subsistência.

“São práticas já consagradas como eficientes”, diz o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Natalino Avance de Souza. “Precisamos ter essa visão de proteção aos recursos naturais e sustentabilidade, sem perder em momento algum a competitividade da agricultura, que é uma tendência global, e a participação de todos os entes envolvidos na gestão do processo”.

NASCENTES – Atualmente, em um trabalho realizado pelo Seagri, já estão protegidas e georreferenciadas cerca de 5 mil nascentes no Paraná. Com vistas à inovação nessa área, uma primeira turma de 15 extensionistas do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná) participa de curso de irrigação oferecido pela Universidade Estadual de Maringá (UEM).

No final de fevereiro o governador Ratinho Junior liderou uma comitiva que conheceu projetos e empresas que trabalham com irrigação no Nebraska (EUA), estado referência nesse modelo. Como presidente do IDR-Paraná à época, Natalino fez parte do grupo, que tinha também o então secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

RECURSOS – O projeto de lei aprovado prevê que, observada a disponibilidade orçamentária, o Estado poderá conceder subvenção econômica aos beneficiários. No caso de agricultores familiares ou empreendedores rurais individuais, o valor da parcela não reembolsável não poderá exceder R$ 40 mil, enquanto o valor da parcela reembolsável fica limitado a R$ 100 mil.

Na subvenção econômica a beneficiário coletivo, organizações e cooperativas de agricultores familiares, o valor da parcela não reembolsável não poderá exceder a R$ 400 mil, já o de parcela reembolsável terá limite de R$ 1 milhão.

RESULTADOS – Com a implementação da Lei de Segurança Hídrica para a Agricultura, o Estado pretende ter uma redução significativa nas perdas ocasionais de safra por situação de déficit hídrico. O diretor técnico da Secretaria da Agricultura e do Abastecimeno, engenheiro agrônomo Benno Doetzer, enfatiza a estreita relação entre o uso do solo e a disponibilidade hídrica.

“A base e a essência da mitigação da falta de água nos períodos de déficit hídrico é o manejo e a conservação do solo”, salienta. “O perfil do solo é um grande armazenador de água, que controla a recarga do lençol freático e aquíferos, que formam nossas fontes de recursos hídricos, por isso toda prática que propicie o aumento da infiltração da água de chuva no solo deve ser incentivada”.

Doetzer menciona, ainda, a importância do setor agropecuário na gestão dos recursos hídricos. “Dois terços do território paranaense estão sob influência de atividade agropecuária, que também é o maior usuário de recursos hídricos. Assim, é fundamental uma ação de conservação e uso racional”, acentua.

Fonte: AEN

Notícias Relacionadas:

Novo investimento de R$ 40 milhões marca abertura da 50.ª edição da Expoleite
Novo investimento de R$ 40 milhões marca abertura da 50.ª edição da Expoleite
Boletim Agropecuário traz importação de pelos suínos e aumento dos produtos da pizza
Boletim Agropecuário traz importação de pelos suínos e aumento dos produtos da pizza
Segunda edição do Prêmio Queijos do Paraná abre inscrições em setembro
Segunda edição do Prêmio Queijos do Paraná abre inscrições em setembro
Expotécnica deve receber 4 mil pessoas em propriedade rural de Sabáudia
Expotécnica deve receber 4 mil pessoas em propriedade rural de Sabáudia
Com foco no mercado, cartilha cria orientações de rastreabilidade do pinhão
Com foco no mercado, cartilha cria orientações de rastreabilidade do pinhão
Parceria entre Governo do Paraná e Banco do Brasil amplia atendimento aos agricultores
Parceria entre Governo do Paraná e Banco do Brasil amplia atendimento aos agricultores
Banco do Brasil destaca parceria com Paraná em evento do Plano Safra
Banco do Brasil destaca parceria com Paraná em evento do Plano Safra
Sistema Estadual de Agricultura terá agendas mais frequentes com Ocepar e Faep
Sistema Estadual de Agricultura terá agendas mais frequentes com Ocepar e Faep
Turismo rural: Estado promove oito Caminhadas da Natureza em julho
Turismo rural: Estado promove oito Caminhadas da Natureza em julho
Com apoio do Estado, Palmital ganha cozinha comunitária multiúso
Com apoio do Estado, Palmital ganha cozinha comunitária multiúso
Com recursos de R$ 419,9 mil do Estado, Cambará ganha Casa do Mel
Com recursos de R$ 419,9 mil do Estado, Cambará ganha Casa do Mel
Clima extremamente seco teve calor recorde em Londrina para o mês de junho
Clima extremamente seco teve calor recorde em Londrina para o mês de junho
Junho foi extremamente seco, aponta Boletim do IDR-Paraná
Junho foi extremamente seco, aponta Boletim do IDR-Paraná
Boletim do Deral analisa variação de preços das frutas vendidas nas Ceasas do Paraná
Boletim do Deral analisa variação de preços das frutas vendidas nas Ceasas do Paraná
Regularização e aprimoramento de agroindústrias familiares são discutidos no Norte Pioneiro
Regularização e aprimoramento de agroindústrias familiares são discutidos no Norte Pioneiro
4ª edição do Prêmio Orgulho da Terra inclui boas práticas da Hortifruticultura
4ª edição do Prêmio Orgulho da Terra inclui boas práticas da Hortifruticultura
4ª edicão do Prêmio Orgulho da Terra 2024 inclui boas práticas da Hortifruticultura
4ª edicão do Prêmio Orgulho da Terra 2024 inclui boas práticas da Hortifruticultura
Plano Safra nacional terá R$ 475,5 bilhões; agricultura familiar fica com R$ 76 bilhões
Plano Safra nacional terá R$ 475,5 bilhões; agricultura familiar fica com R$ 76 bilhões
Campanha de atualização de rebanhos encerra com 85,5% das explorações regularizadas
Campanha de atualização de rebanhos encerra com 85,5% das explorações regularizadas
Piana destaca protagonismo do Paraná na produção de alimentos em evento da Ocepar
Piana destaca protagonismo do Paraná na produção de alimentos em evento da Ocepar
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais