CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!

Fraude no cumprimento da pena com tornozeleira leva irmãos que faziam regime semiaberto por homicídio de volta à prisão a pedido do MPPR

Após a condenação, os dois mudaram o endereço de residência para Cascavel, pois souberam que o juiz da Vara da Execução Penal daquela comarca não exigia o uso......

Publicado em

Por Ministério Público do Paraná

Publicidade

Em Capanema, Sudoeste do estado, dois irmãos condenados pelo crime de homicídio qualificado, que cumpriam pena em regime semiaberto, com tornozeleira, voltaram para o sistema prisional após descoberta de fraude durante o cumprimento da condenação criminal. O Ministério Público do Paraná, por meio da 2° Promotoria de Justiça de Capanema, conseguiu junto ao Judiciário a regressão dos apenados ao regime fechado após comprovar o ilícito – em julho de 2020 eles foram condenados pela morte de um homem a 16 anos e 3 meses de prisão e a 14 anos de prisão. O crime ocorreu em fevereiro de 2017.

Após a condenação, os dois mudaram o endereço de residência para Cascavel, pois souberam que o juiz da Vara da Execução Penal daquela comarca não exigia o uso da monitoração eletrônica para cumprimento de pena no regime semiaberto. A despeito dessa mudança, seguiram vivendo em Capanema no mesmo dia em que o equipamento foi retirado, retornaram para a cidade, permanecendo de maneira irregular por mais de um ano. Os dois foram para o regime semiaberto com tornozeleira em maio de 2022 e estavam sem o dispositivo desde fevereiro de 2023.

Comprovação – Em abril deste ano a 2ª Promotoria de Justiça de Capanema tomou conhecimento da situação – que os condenados nunca tiveram a intenção de mudança e fixação de residência em Cascavel, buscando apenas uma forma de cumprirem a condenação de maneira mais cômoda, sem qualquer fiscalização contínua – e buscou então a comprovação dos fatos. O MPPR realizou diversas diligências e, por meio informações de câmera de identificação de placas da Polícia Rodoviária Federal e de decisão judicial de quebra de dados telefônicos e de geolocalização, conseguiu comprovar que, após alcançarem o objetivo de se livrarem da tornozeleira, os sentenciados retornaram tranquilamente à sua rotina, tendo como único ônus irem mensalmente para Cascavel para “atestar residência” – ficavam na cidade por cerca de apenas 40 minutos, tão somente para assinar presença no Patronato e em seguida retornar a Capanema.

A Promotoria então requereu ao Judiciário a revisão do sistema de pena, com o retorno dos dois ao regime fechado e com a exclusão do período da fraude da contagem da pena já cumprida, o que nesta semana, em 22 de maio, foi deferido pelo Juízo da Vara Criminal da Comarca de Capanema. Como destaca a decisão, “O que se tem, no caso, é prova de verdadeira fraude à execução penal, com a finalidade de se esquivar do cumprimento da sanção imposta”. Os dois apenados já voltaram ao sistema prisional na Cadeia Pública de Capanema e serão transferidos para a Penitenciária de Francisco Beltrão.

Processos números 0000589-21.2019.8.16.0061 e 0001021-40.2019.8.16.0061

[email protected]
(41) 3250-4469

Fonte: MPPR

Notícias Relacionadas:

MPPR em Piraquara oferece denúncia contra dois policiais civis e um advogado investigados por tráfico de drogas e vários outros crimes
MPPR em Piraquara oferece denúncia contra dois policiais civis e um advogado investigados por tráfico de drogas e vários outros crimes
Atuação do MPPR resulta na condenação a 31 anos de prisão de integrante de organização investigada na Operação Praia Brava
Atuação do MPPR resulta na condenação a 31 anos de prisão de integrante de organização investigada na Operação Praia Brava
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena réu denunciado pelo Ministério Público do Paraná por homicídio qualificado a 23 anos e 9 meses de prisão
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena réu denunciado pelo Ministério Público do Paraná por homicídio qualificado a 23 anos e 9 meses de prisão
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena homem por homicídio qualificado a 23 anos e 9 meses de prisão
Tribunal do Júri de Foz do Iguaçu condena homem por homicídio qualificado a 23 anos e 9 meses de prisão
Ministério Público do Paraná denuncia por homicídio com dolo eventual motorista que atropelou e matou ciclista em Marialva ao dirigir embriagado em alta velocidade
Ministério Público do Paraná denuncia por homicídio com dolo eventual motorista que atropelou e matou ciclista em Marialva ao dirigir embriagado em alta velocidade
Ministério Público do Paraná oferece denúncia criminal contra dois irmãos que ameaçaram e agrediram a irmã transexual e a própria mãe em Piraquara
Ministério Público do Paraná oferece denúncia criminal contra dois irmãos que ameaçaram e agrediram a irmã transexual e a própria mãe em Piraquara
MP denuncia dois irmãos que ameaçaram e agrediram a irmã transexual e a própria mãe
MP denuncia dois irmãos que ameaçaram e agrediram a irmã transexual e a própria mãe
Judiciário condena 14 pessoas denunciadas pelo MPPR em Paranaguá por desvio de indenizações pagas a pescadores
Judiciário condena 14 pessoas denunciadas pelo MPPR em Paranaguá por desvio de indenizações pagas a pescadores
Judiciário condena 14 pessoas denunciadas pelo MPPR em Paranaguá por desvio de indenizações pagas a pescadores
Judiciário condena 14 pessoas denunciadas pelo MPPR em Paranaguá por desvio de indenizações pagas a pescadores
Judiciário recebe denúncia criminal contra ex-prefeito e secretário de Licitações de Iporã por morte e lesão causadas em dois trabalhadores em obra do Município
Judiciário recebe denúncia criminal contra ex-prefeito e secretário de Licitações de Iporã por morte e lesão causadas em dois trabalhadores em obra do Município
Delegado denunciado pelo MPPR por matar esposa e enteada em Curitiba é condenado no Júri a 38 anos e 10 meses de prisão
Delegado denunciado pelo MPPR por matar esposa e enteada em Curitiba é condenado no Júri a 38 anos e 10 meses de prisão
Delegado denunciado pelo MPPR por matar esposa e enteada em Curitiba é condenado no Júri a 38 anos e 10 meses de prisão
Delegado denunciado pelo MPPR por matar esposa e enteada em Curitiba é condenado no Júri a 38 anos e 10 meses de prisão
Tribunal do Júri de Matelândia condena a 16 anos de prisão homem denunciado pelo MPPR pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver
Tribunal do Júri de Matelândia condena a 16 anos de prisão homem denunciado pelo MPPR pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver
MPPR em Cianorte realiza a Operação Abutre com o cumprimento de ordens de prisão, busca e apreensão e sequestro de bens de suspeito de agiotagem
MPPR em Cianorte realiza a Operação Abutre com o cumprimento de ordens de prisão, busca e apreensão e sequestro de bens de suspeito de agiotagem
MPPR e Polícia Civil cumprem 138 mandados na Operação Ponte Molhada, que apura delitos de organização criminosa que atua no Litoral paranaense
MPPR e Polícia Civil cumprem 138 mandados na Operação Ponte Molhada, que apura delitos de organização criminosa que atua no Litoral paranaense
MPPR cumpre 10 mandados de busca e apreensão na Operação Arcanjo, que apura possíveis pagamentos indevidos feitos pelo Município de Chopinzinho
MPPR cumpre 10 mandados de busca e apreensão na Operação Arcanjo, que apura possíveis pagamentos indevidos feitos pelo Município de Chopinzinho
Réu denunciado pelo MPPR por tentativa de homicídio que deixou vítima em estado vegetativo é condenado a 11 anos de prisão por Júri de Francisco Beltrão
Réu denunciado pelo MPPR por tentativa de homicídio que deixou vítima em estado vegetativo é condenado a 11 anos de prisão por Júri de Francisco Beltrão
Ministério Público do Paraná cria grupo especial para fortalecimento da atuação na área de crimes dolosos contra a vida
Ministério Público do Paraná cria grupo especial para fortalecimento da atuação na área de crimes dolosos contra a vida
Ministério Público do Paraná cria Grupo de Atuação Especial do Tribunal do Júri
Ministério Público do Paraná cria Grupo de Atuação Especial do Tribunal do Júri
Homem que matou passageiro que defendeu casal homoafetivo dentro de ônibus em Curitiba é denunciado por outros dois homicídios e por corrupção de menor
Homem que matou passageiro que defendeu casal homoafetivo dentro de ônibus em Curitiba é denunciado por outros dois homicídios e por corrupção de menor
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais