CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Daniela Arbex destaca livro Longe do Ninho, no Trilha de Letras
© Reprodução/TV Brasil

Daniela Arbex destaca livro Longe do Ninho, no Trilha de Letras

A edição inédita do programa Trilha de Letras recebe a jornalista e escritora Daniela Arbex para uma entrevista exclusiva com a apresentadora Eliana Alves Cruz nesta......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Daniela Arbex destaca livro Longe do Ninho, no Trilha de Letras
© Reprodução/TV Brasil

A edição inédita do programa Trilha de Letras recebe a jornalista e escritora Daniela Arbex para uma entrevista exclusiva com a apresentadora Eliana Alves Cruz nesta terça-feira (21), às 22h30, na TV Brasil. A convidada aborda seu mais recente livro Longe do Ninho, sobre o incêndio que matou dez jovens atletas das categorias de base do Flamengo.

A publicação foi lançada em fevereiro, cinco anos após a tragédia. Na comovente conversa, a premiada autora mineira explica para a anfitriã como é o seu processo de pesquisa para escrever uma obra da natureza de Longe do Ninho. Durante a atração, Daniela Arbex lê um trecho do seu novo livro.

O programa sobre o universo literário também pode ser acompanhado em formato podcast nas plataformas digitais. O papo gravado na BiblioMaison fica disponível no app TV Brasil Play e no canal do YouTube da emissora pública. O Trilha de Letras ainda tem uma versão radiofônica que vai ao ar às quartas-feiras, mais tarde, às 23h, pela Rádio MEC.

Daniela Arbex revela para Eliana Alves Cruz como foi lidar com as famílias envolvidas no drama do Centro de Treinamento do Ninho do Urubu e levanta outras perspectivas a respeito do caso. “Foi uma tragédia anunciada. Os meninos não tiveram nenhuma chance. O sistema de justiça precisa ser revisto”, afirma.

Impunidade, responsabilização e justiça tardia

Capa do livro Longe do Ninho, da jornalista Daniela Arbex, sobre o incêndio do NInho do Urubu – Divulgação/Editora Intrínseca

A jornalista comenta sua opção por temas difíceis de apurar. “Uma das grandes exigências da nossa profissão é que a gente tenha empatia. Não dá para separar a Daniela, a jornalista, a mãe e a mulher; a gente é tudo. Para contar histórias como essa, você tem que fazer um mergulho profundo. Para tocar o outro, você tem que ser tocado primeiro. Você tem que oferecer escuta qualificada, sentimento e afeto. Tudo isso faz parte do processo de construção de confiança com ética, cuidado, zelo e respeito”, pondera.

Daniela Arbex escreveu seis livros e conquistou várias distinções nacionais e internacionais por suas obras. “Descobri que a falta de justiça dói tanto quanto a morte. Por incrível que pareça, é incrível perceber que todas as grandes tragédias do Brasil têm em comum a impunidade, a não responsabilização”, pontua a autora no programa Trilha de Letras, produzido pela emissora pública.

A profissional da imprensa é taxativa. “A impunidade alimenta a próxima tragédia. Talvez se lá na (boate) Kiss a gente tivesse uma punição exemplar, como aconteceu na Argentina quando a boate Cromagnon pegou fogo, que até o prefeito foi preso e a cidade inteira se mobilizou, a gente não tivesse Mariana, Brumadinho e o CT do Ninho do Urubu. Se a gente pensar, o modus operandi da tragédia é o mesmo”, explica Daniela Arbex, que avalia o trabalho do poder judiciário. “A justiça tardia não é justiça”, resume.

Premiações e reconhecimentos por seus livros

Também são de autoria de Daniela Arbex os títulos Todo dia a mesma noite (2018), sobre o caso do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria, no Rio do Grande do Sul, que teve adaptação para plataforma de streaming em 2023, e Os dois mundos de Isabel (2020), primeira biografia da jornalista. Outra produção recente é o livro Arrastados (2022), obra em que discorre sobre o rompimento da barragem em Brumadinho, em Minas Gerais, conteúdo agraciado com o Prêmio Vladimir Herzog.

Sobre o programa 

O Trilha de Letras busca debater os temas mais atuais discutidos pela sociedade por meio da literatura. A cada edição, o programa recebe um convidado diferente. A atração foi idealizada em 2016 pela jornalista Emília Ferraz, atual diretora da produção que entrou no ar em abril de 2017. Nesta temporada, os episódios foram gravados na BiblioMaison, biblioteca do Consulado da França, no Rio de Janeiro.

A TV Brasil já realizou três temporadas do programa e recebeu mais de 200 autores nacionais e estrangeiros. As duas primeiras temporadas foram apresentadas pelo escritor Raphael Montes. A terceira, por Katy Navarro, jornalista da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). A jornalista, escritora e roteirista Eliana Alves Cruz assume a quarta temporada, que também ganha uma versão na Rádio MEC

A produção exibida pelo canal público às terças, às 22h30, tem horário alternativo na telinha durante a madrugada de terça-feira para quarta-feira, às 4h30. Já na programação da Rádio MEC, o conteúdo é apresentado às quartas-feiras, às 23h. 

Ao vivo e on demand   

Serviço

Trilha de Letras – terça, dia 21/5, às 22h30, na TV Brasil
Trilha de Letras – terça, dia 21/5, para quarta, dia 22/5, às 4h30, na TV Brasil
Trilha de Letras – quarta, dia 22/5, às 23h, na Rádio MEC

Fonte: Agência Brasil

Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais