CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!

Peru: presidente vai responder a interrogatório sobre relógios de luxo

A mudança do Gabinete na segunda-feira ocorreu quando os legisladores apresentaram ao Parlamento um pedido para destituir Boluarte do cargo por “incapacidade moral permanente”. O pedido...

Publicado em

Por Agência Estado

Publicidade

A presidente do Peru, Dina Boluarte, responderá na sexta-feira, 5, a perguntas sobre sua propriedade de um trio de relógios de luxo, disseram nesta terça-feira, 2, seus advogados, um dia depois de ela reorganizar seu gabinete, já que um suposto escândalo de enriquecimento ilícito ameaça ainda mais sua presidência.

A mudança do Gabinete na segunda-feira ocorreu quando os legisladores apresentaram ao Parlamento um pedido para destituir Boluarte do cargo por “incapacidade moral permanente”. O pedido veio três dias depois que a polícia arrombou a porta da frente de sua residência para procurar os relógios como parte de uma investigação.

O escritório de advocacia Mateo Castañeda, advogado de Boluarte, disse no X, antigo Twitter, que a Procuradoria-Geral negou o pedido de seu cliente para adiar a data do interrogatório.

Na segunda-feira, ela nomeou novas pessoas para os cargos de ministro do Interior, Educação, Mulheres, Agricultura, Produção e Comércio Exterior. O movimento vem em meio à profunda queda de popularidade de seu governo

Boluarte está sendo investigada preliminarmente por supostamente adquirir uma coleção não revelada de relógios de luxo desde que se tornou vice-presidente e ministra da inclusão social em julho de 2021 e depois presidente em dezembro de 2022. Ela não listou os três relógios em um formulário de declaração obrigatória de bens. Boluarte negou as acusações de enriquecimento ilícito.

Um pedido dos legisladores para destituí-la do cargo cita esta investigação, bem como problemas em todo o país, como o aumento da criminalidade. O pedido foi apresentado por legisladores de vários partidos, incluindo o Peru Libre, ao qual Boluarte já pertenceu.

Espera-se que os legisladores considerem o pedido na quinta-feira. A medida deve obter 52 votos para que o Parlamento a aceite e abra um debate. Para remover Boluarte, a medida requer 87 votos do Parlamento unicameral de 130 assentos e, até agora, cinco partidos que juntos têm 54 votos expressaram apoio à presidente após o início da operação.

Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais