CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a ‘Absolvição repugnante’, diz advogado da família de mulher arrastada

‘Absolvição repugnante’, diz advogado da família de mulher arrastada

"A absolvição foi repugnante". Assim classifica o advogado João Tancredo, que representou a família da auxiliar de serviços gerais Cláudia Ferreira no processo cível movido contra......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a ‘Absolvição repugnante’, diz advogado da família de mulher arrastada

“A absolvição foi repugnante”. Assim classifica o advogado João Tancredo, que representou a família da auxiliar de serviços gerais Cláudia Ferreira no processo cível movido contra o estado do Rio de Janeiro após ela ser morta por policiais militares e ter seu corpo arrastado por uma viatura policial em 2014.

“Na parte criminal, a absolvição foi repugnante. Tanto na parte cível como criminal, os resultados trazem o sentimento de impunidade e revolta”, disse em nota divulgada nesta quarta-feira (20).

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) absolveu os seis policiais militares envolvidos no caso. O processo tratou de duas acusações: o assassinato e a remoção do corpo de Cláudia do local do crime.

O juiz Alexandre Abrahão Dias Teixeira entendeu que os policiais agiam em legítima defesa, em confronto com criminosos, e não tiveram intenção de matá-la quando a balearam perto de sua casa, no Morro da Congonha, na zona norte do Rio de Janeiro.

O caso ganhou grande repercussão por causa de um vídeo que mostra o corpo de Cláudia pendurado na viatura, que o arrasta por cerca de 300 metros no asfalto. Nesse caso, a Justiça entendeu que os policiais o colocaram na viatura em uma tentativa de socorrer, Cláudia levando-a a uma unidade de saúde.

Danos morais

Além do processo criminal, a família processou o estado do Rio de Janeiro por indenização pelos danos que o crime deixou. Foram ajuizadas duas ações: uma delas contendo a mãe e dois irmãos; e, outra, viúvo, os filhos, filhos de criação, sobrinhos e uma outra irmã.

“A indenização não foi nada satisfatória. O Alexandre [viúvo] e os filhos fizeram um acordo extremamente lesivo, forçados pela Secretaria de Direitos Humanos da época, então governo do Pezão. Fizeram um acordo muito ruim, não orientado por nós”, lembra João Tancredo.

“Entramos com uma ação da mãe e dos irmãos. A mãe fez um acordo de R$ 50 mil pela Defensoria Pública, e aos irmãos a Justiça concedeu R$ 50 mil para cada um por dano moral. Uma quantia irrisória pela gravidade do fato. Neste caso, a família foi arrasada. Perde a Cláudia de maneira violenta e a família recebe uma ninharia de indenização”, critica o advogado.

Repúdio

A absolvição dos policiais causou indignação na família de Cláudia e em movimentos de defesa dos direitos humanos. “Eu fiquei sem palavras, sem reação. Difícil, né? Foi injusto. Foi injusto desde o começo. Só repercutiu por causa de uma falha deles, o fato de o corpo dela ter sido arrastado. Se não fosse isso, não iria dar em nada. Só deu por causa da gravação”, disse Thais Ferreira da Silva, filha de Cláudia.  

Diretora executiva da organização civil Criola, Lucia Xavier se disse chocada. “Nenhuma responsabilidade [foi] atribuída aos policiais que mataram e arrastaram o corpo de uma mulher negra, mãe e trabalhadora”.

Fonte: Agência Brasil

Notícias Relacionadas:

PCPR e PMPR cumprem 19 mandados contra grupo ligado a homicídios em Cascavel
PCPR e PMPR cumprem 19 mandados contra grupo ligado a homicídios em Cascavel
Governador autoriza promoção de 2.337 policiais civis, a maior da história da instituição
Governador autoriza promoção de 2.337 policiais civis, a maior da história da instituição
Níveis médio, técnico e superior: PCPR oferta 97 vagas de estágio em 40 municípios
Níveis médio, técnico e superior: PCPR oferta 97 vagas de estágio em 40 municípios
Maringá receberá serviços gratuitos do PCPR na Comunidade a partir de quarta
Maringá receberá serviços gratuitos do PCPR na Comunidade a partir de quarta
Forças policiais apreendem quatro toneladas e meia de maconha em Guaíra e Altônia
Forças policiais apreendem quatro toneladas e meia de maconha em Guaíra e Altônia
Prova do concurso da Polícia Penal reuniu 17.696 candidatos; gabarito está disponível
Prova do concurso da Polícia Penal reuniu 17.696 candidatos; gabarito está disponível
Lewandowski propõe incluir Sistema Único de Segurança na Constituição
Lewandowski propõe incluir Sistema Único de Segurança na Constituição
PCPR promove ações educativas sobre trânsito e combate ao abuso sexual infantil
PCPR promove ações educativas sobre trânsito e combate ao abuso sexual infantil
Buscas complexas e casos marcantes: bombeiros do Paraná relatam atuação no RS
Buscas complexas e casos marcantes: bombeiros do Paraná relatam atuação no RS
Casinhas feitas em penitenciária do Paraná vão ajudar a abrigar animais resgatados no RS
Casinhas feitas em penitenciária do Paraná vão ajudar a abrigar animais resgatados no RS
Cães e bombeiros do Paraná embarcam para o RS para ajudar em buscas por vítimas
Cães e bombeiros do Paraná embarcam para o RS para ajudar em buscas por vítimas
476 pessoas privadas de liberdade tiveram documentos regularizados no Paraná
476 pessoas privadas de liberdade tiveram documentos regularizados no Paraná
476 documentos de pessoas privadas de liberdade são regularizados no Paraná
476 documentos de pessoas privadas de liberdade são regularizados no Paraná
Paraná vai mandar novos bombeiros com cães de busca para o Rio Grande do Sul
Paraná vai mandar novos bombeiros com cães de busca para o Rio Grande do Sul
PCPR prende 14 pessoas em operação de combate ao abuso de crianças e adolescentes
PCPR prende 14 pessoas em operação de combate ao abuso de crianças e adolescentes
PCPR prende 14 pessoas em operação do Maio Laranja, ação de combate ao abuso infantil
PCPR prende 14 pessoas em operação do Maio Laranja, ação de combate ao abuso infantil
Com 104 agentes e muita tecnologia, forças de segurança do PR seguem apoiando o RS
Com 104 agentes e muita tecnologia, forças de segurança do PR seguem apoiando o RS
Brasil teve 230 mortes de pessoa LGBTI+ em 2023
Brasil teve 230 mortes de pessoa LGBTI+ em 2023
PCPR deflagra operação contra grupo que roubou 80 veículos entre 2023 e 2024
PCPR deflagra operação contra grupo que roubou 80 veículos entre 2023 e 2024
Violência contra pessoas LGBTQIA+ em SP cresce 970% em oito anos
Violência contra pessoas LGBTQIA+ em SP cresce 970% em oito anos
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais