CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Saiba mais sobre câncer que acomete filho de Bruno Pereira
© Arte/Isa Matos

Saiba mais sobre câncer que acomete filho de Bruno Pereira

A antropóloga e diretora do Ministério dos Povos Indígenas (MPI), Beatriz Matos, lançou esta semana uma campanha para arrecadar recursos em prol do tratamento de Pedro,......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Saiba mais sobre câncer que acomete filho de Bruno Pereira
© Arte/Isa Matos

A antropóloga e diretora do Ministério dos Povos Indígenas (MPI), Beatriz Matos, lançou esta semana uma campanha para arrecadar recursos em prol do tratamento de Pedro, de cinco anos, filho dela com o indigenista Bruno Pereira, assassinado em 2022. Pedro foi diagnosticado com neuroblastoma, estágio 4 e deverá ser submetido a um transplante de medula óssea. Após o transplante, necessitará do medicamento betadinutuximabe, que tem de ser importado e ainda não é oferecido pelo SUS.

A mobilização em favor da vida de Pedro revela um drama de muitas famílias, já que esse tipo de câncer é o terceiro mais recorrente entre crianças, depois da leucemia e de tumores cerebrais. É o tumor sólido extracraniano mais comum entre a população pediátrica, representando 8% a 10% de todos os tumores infantis.

“Quando não há alteração do quadro, é sempre bom levar crianças para uma avaliação por profissionais de saúde para ser submetida a um exame físico e associado, quando necessário, a exames de imagem”, afirma.

A especialista explica que, além do problema ser identificado por um incômodo abdominal, pode haver  também, nos casos em que há metástase, uma dor óssea. É considerado de alto risco o neuroblastoma que se manifesta em um estágio tardio da doença e está espalhado pelo corpo, podendo haver febre, palidez, emagrecimento, dor e irritabilidade.

O neurocirurgião pediátrico Márcio Marcelino, do Hospital da Criança de Brasília José Alencar, acrescenta que é raro ele acontecer em idades mais velhas e que a criança pode nascer com esse tumor.

“Eu já tive casos, inclusive, em que crianças nasceram com um tumor que invadia a coluna e com sequelas neurológicas”. Ele explica que pode também se propagar para a região mais posterior do tronco da criança e aí envolver a coluna.

Arte/EBC

 

Cirurgia

Entre os sinais, o médico recorda a necessidade de atenção a uma perda de peso sem uma razão específica, enfraquecimento e fadiga. “Se estiver no tórax, pode causar também sintomas de compressão nessa região. Na coluna, pode comprimir nervos e a medula. Muitas vezes, pode precisar, no caso da neurocirurgia, que possamos fazer alguma intervenção. No fígado, pode causar alterações de função hepática”.

Os especialistas chamam a atenção que os primeiros sintomas podem ser leves e que podem até confundir os responsáveis pela criança. No entanto, como se trata de uma doença agressiva, a evolução é rápida, segundo o médico Márcio Marcelino. Seria improvável, por isso, que uma criança demore muito a ter necessidade de atendimento especializado desde o momento que apareçam os primeiros sintomas.

A médica Arissa Ikeda pondera que a história familiar dos pacientes representa apenas 1% a 2% dos casos da doença. “O neuroblastoma pode estar associado a algumas síndromes genéticas”, afirma.

Tratamento

Os pesquisadores explicam que o tratamento varia de acordo com o risco apresentado para cada paciente. “Para aqueles pacientes de baixo risco ou intermediário, basicamente são necessárias cirurgia e algumas vezes com associação de quimioterapia. Para aqueles pacientes de alto risco, para a gente garantir uma melhora, busca-se um um tratamento mais intensivo”, afirma Arissa Ikeda. Nesses casos, pode haver necessidade da cirurgia para retirada do tumor e quimioterapia e até radioterapia para evitar que o problema reapareça.

A médica chama a atenção para o fato de que o tratamento tem envolvido também a utilização de transplante de medula óssea (com células provenientes do próprio paciente). Essas indicações são oferecidas no sistema público de saúde. No entanto, há procedimentos de imunoterapia que são pagos (de alto custo, inclusive, que pode ir além de R$ 1 milhão).

Nessas situações especiais de atendimento pediátricos, os profissionais veem que há especificidade no tratamento das crianças que passam por problemas como esse. “O profissional de saúde deve estabelecer um relacionamento próximo com a criança, já que haverá a convivência por um tempo importante”, diz a médica do Inca.

Marcio Marcelino lembra que cuidar de criança é muito diferente do que lidar com adultos. “As estruturas são mais delicadas. As crianças em si, pela sua própria inocência e pelo jeito de ser, fazem com que a gente tenha uma energia redobrada. Eu posso garantir uma coisa: eles são muito mais fortes do que muita gente grande”.

SUS

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o medicamento que a família de Pedro pretende adquirir já possui registro do órgão. O betadinutuximabe, de nome fantasia Qarziba, é indicado para o tratamento de neuroblastoma de alto risco em pacientes a partir dos 12 meses, previamente tratados com quimioterapia de indução e que tenham alcançado pelo menos uma resposta parcial, seguida de terapêutica mieloablativa e transplante de células tronco, bem como em pacientes com história de recidiva ou neuroblastoma refratário, com ou sem doença residual.

Para que o remédio possa ser utilizado no Sistema Único de Saúde (SUS), ele precisa ser avaliado e aprovado pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec). O órgão é responsável pela análise da efetividade da tecnologia, comparando-a aos tratamentos já incorporados no rede pública.

Fonte: Agência Brasil

Notícias Relacionadas:

Novo boletim epidemiológico da dengue registra mais 25,4 mil casos e 26 óbitos
Novo boletim epidemiológico da dengue registra mais 25,4 mil casos e 26 óbitos
Paraná tem mais médicos por habitantes do que a média nacional, aponta pesquisa
Paraná tem mais médicos por habitantes do que a média nacional, aponta pesquisa
Com a chegada do frio, Saúde esclarece dúvidas sobre a gripe e importância da vacinação
Com a chegada do frio, Saúde esclarece dúvidas sobre a gripe e importância da vacinação
Universidade Estadual de Maringá começa a fazer exames de pré-transplante no Paraná
Universidade Estadual de Maringá começa a fazer exames de pré-transplante no Paraná
Ziraldo mudou campanhas de prevenção da saúde, dizem especialistas
Ziraldo mudou campanhas de prevenção da saúde, dizem especialistas
Plataforma reúne dados sobre pedidos de patentes do setor farmacêutico
Plataforma reúne dados sobre pedidos de patentes do setor farmacêutico
Quase 58% das vacinas contra dengue distribuídas no Paraná já foram aplicadas
Quase 58% das vacinas contra dengue distribuídas no Paraná já foram aplicadas
290 mil vacinas contra a gripe já foram aplicadas no Paraná; Dia D será neste sábado
290 mil vacinas contra a gripe já foram aplicadas no Paraná; Dia D será neste sábado
Brasil tem 575.930 médicos ativos: 2,81 por mil habitantes
Brasil tem 575.930 médicos ativos: 2,81 por mil habitantes
Dia Mundial da Saúde: hábitos simples e acompanhamento periódico geram longevidade
Dia Mundial da Saúde: hábitos simples e acompanhamento periódico geram longevidade
Com recursos do Estado, nova ala do HUOP reforça atendimento obstétrico no Oeste
Com recursos do Estado, nova ala do HUOP reforça atendimento obstétrico no Oeste
Com recursos do Estado, nova ala do HUOP reforça atendimento obstétrico na região
Com recursos do Estado, nova ala do HUOP reforça atendimento obstétrico na região
Com R$ 19 milhões do Estado, ala materno-infantil do HUOP reforça atendimento obstétrico na região
Com R$ 19 milhões do Estado, ala materno-infantil do HUOP reforça atendimento obstétrico na região
Pesquisa de saúde pública da UEPG analisa qualidade de vida de pessoas com HIV
Pesquisa de saúde pública da UEPG analisa qualidade de vida de pessoas com HIV
Estado libera R$ 12 milhões para ampliação do Cisa e do Hospital Cemil, em Umuarama
Estado libera R$ 12 milhões para ampliação do Cisa e do Hospital Cemil, em Umuarama
Estado libera R$ 40 milhões para quatro novas estruturas de saúde em Almirante Tamandaré
Estado libera R$ 40 milhões para quatro novas estruturas de saúde em Almirante Tamandaré
Paraná recebe 6.724 imunizantes contra a dengue para a região de Apucarana
Paraná recebe 6.724 imunizantes contra a dengue para a região de Apucarana
ESPP abre vagas para especialização em saúde pública em Guarapuava e Londrina
ESPP abre vagas para especialização em saúde pública em Guarapuava e Londrina
Com investimento de mais de R$ 260 milhões, Paraná vai ganhar 11 novos hospitais
Com investimento de mais de R$ 260 milhões, Paraná vai ganhar 11 novos hospitais
Recorde de cirurgias: Hospital de Guarapuava registrou 508 procedimentos em março
Recorde de cirurgias: Hospital de Guarapuava registrou 508 procedimentos em março
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais