CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Forças de segurança irão intensificar abordagens em Copacabana
© Tânia Rêgo/Agência Brasil

Forças de segurança irão intensificar abordagens em Copacabana

As forças de segurança do Rio de Janeiro irão intensificar as abordagens e melhorar a distribuição do policiamento nas ruas, após casos de violência em Copacabana,......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Forças de segurança irão intensificar abordagens em Copacabana
© Tânia Rêgo/Agência Brasil

As forças de segurança do Rio de Janeiro irão intensificar as abordagens e melhorar a distribuição do policiamento nas ruas, após casos de violência em Copacabana, na zona sul da cidade. Nesta quinta-feira (7), representantes das forças de segurança do estado reuniram-se para traçar estratégias para coibir atos de violência na cidade. As ações começam a ser implementadas ainda nesta quinta e seguem no final de semana.

Estavam presentes representantes tanto da Polícia Civil, quanto da Polícia Militar e da Operação Segurança Presente – vinculada ao governo e formada por policiais militares, agentes civis e assistentes sociais.

Segundo a Polícia Civil, o que há é uma sensação de insegurança em Copacabana maior do que a insegurança real em si. De acordo com os policiais, os números mostram que o bairro teve o menor índice de roubos e furtos registrados em novembro.

Ação de “justiceiros”

Copacabana também virou palco de outra violência, a ação de “justiceiros”. Declarando-se insatisfeitos com os episódios de assaltos violentos em seu bairro, grupos de moradores de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, resolveram fazer justiça com as próprias mãos e se unir contra os criminosos. Por meio de redes sociais e aplicativos de mensagens, passaram a convocar outras pessoas a reagirem aos roubos na área turística carioca e a se vingarem de suspeitos desses crimes. 

Vídeos e mensagens veiculados pela imprensa carioca mostram pessoas incitando a agressão contra os assaltantes.

Sobre esses casos, a Polícia Civil disse que está trabalhando com o setor de inteligência para identificar as pessoas envolvidas. Foram feitos dois registros de ocorrência sobre o caso e uma vítima foi encontrada, ouvida e levada para fazer exame de corpo de delito. 

O governo ressaltou que esses crimes não serão tolerados e que a população precisa confiar nas leis, polícias, Ministério Público e Poder Judiciário, que são as instituições que devem agir quando esses crimes acontecem.  

Fonte: Agência Brasil

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais