CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Cufa inaugura centro social para 8 mil pessoas em favela no Rio
© Marinara Britto

Cufa inaugura centro social para 8 mil pessoas em favela no Rio

O Complexo da Penha, região que reúne 13 favelas na zona norte do Rio de Janeiro, conta agora com uma sede da Central Única das Favelas......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Cufa inaugura centro social para 8 mil pessoas em favela no Rio
© Marinara Britto

O Complexo da Penha, região que reúne 13 favelas na zona norte do Rio de Janeiro, conta agora com uma sede da Central Única das Favelas (Cufa). O espaço de 6 mil metros quadrados com quadra de esporte, campo de futebol, salas de aula e espaços para atendimento da população foi inaugurado nesta quarta-feira (27), com a presença do ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida.

No dia em que a cidade do Rio de Janeiro teve sensação térmica acima de 45°C, um alívio para o calor nessas comunidades foi a piscina da nova sede, que oferece aulas de hidroginástica.

As instalações da Cufa disponibilizam atividades esportivas e culturais, assistência social e serviços para cerca de 100 mil habitantes das comunidades, muitas vezes vítimas da violência urbana e violações de direitos.

Moradores de favelas

De acordo com Celso Athayde, um dos fundadores da Cufa, instituição que tem representação em todos os estados, o centro inaugurado tem capacidade para atender 8 mil pessoas.

“A Cufa trabalha com cria, trabalha somente com pessoas que moram naquele território. Nosso objetivo sempre é empoderar as pessoas daquele ambiente. São elas que vão propagar nossa mensagem, nossas ideias e a nossa ideologia. A nossa ideologia nada mais é do que a gente continuar sendo interlocutores entre a favela e o asfalto, entre o poder público e o asfalto”, disse Athayde, acrescentando que articula parcerias com ministérios, secretarias estaduais e municipais e empresas privadas.

Poder público

O ministro Silvio Almeida conheceu a nova estrutura e assinou um termo de compromisso para a pasta levar para o conjunto de favelas uma série de equipamentos e serviços. “Nós temos política para a pessoa idosa, política de prevenção e combate à violência, política para as pessoas com deficiência, para crianças e adolescentes. É isso que a gente vai trazer para este local”, listou. “Esse local que passe, portanto, a abrigar um projeto que une a dinâmica e o poder do Estado com a potência e a dinâmica das favelas”.

Silvio Almeida anunciou ainda que o governo vai lançar o edital periferias, voltado para o cuidado de pessoas idosas. “Vamos investir em saúde, economia solidária, cooperativas, e o governo federal vai investir R$ 1,8 milhão nesse edital”, detalhou. “A gente quer que as pessoas possam envelhecer com dignidade nas favelas”, completou.

O ministro reconheceu que as favelas precisam de políticas que não dependem da pasta dele. Mas se comprometeu a articular ações com outros ministérios. “A favela precisa de política de saneamento básico, de saúde, educação, de assistência social. Isso não é competência do ministério dos Direitos Humanos, mas não significa que eu não posso trazer os meus colegas e as minhas colegas comigo para trazer para favela o que a favela precisa”.

Veia empreendedora

Celso Athayde, da Cufa, lembrou que outra forma de levar desenvolvimento e dinamismo para as favelas é por meio do espírito empreendedor.

“Levar a bandeira do empreendedorismo na base da pirâmide porque, uma vez que você leva e transforma as pessoas em empreendedoras, você monta duas escalas: uma dos empreendedores, dos empresários das favelas e da qualificação deles; mas você também leva a bandeira da empregabilidade. Você gera riqueza e renda para as pessoas. Isso é uma maneira que a gente tem para diminuir as desigualdades sociais”, defende.

Conselhos tutelares

Ao fim da cerimônia de inauguração, o ministro Silvio Almeida fez questão de lembrar à população sobre a eleição para representantes de conselhos tutelares, no próximo domingo (1º). Serão escolhidos mais de 30 mil conselheiros em todo o Brasil.

“É fundamental a eleição dos conselheiros tutelares. Os conselhos tutelares são, muitas vezes, a última fronteira entre você ter uma infância e adolescência protegidas, e uma infância e adolescência desprotegidas, portanto, largadas à sorte e à toda série de abusos que nós sabemos que as crianças do Brasil são vítimas”, alertou.

Ouça na Radioagência Nacional:

 

Fonte: Agência Brasil

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais