CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a RenovaPR já viabilizou 6.662 projetos de energia sustentável em propriedades rurais
Governador Carlos Massa Ratinho Junior, participa da inauguração de mais um sistema para a produção de biogás e biometano, instalado na Granja Angst, em Toledo, no Oeste do Paraná. Foto: Ari Dias/AEN

RenovaPR já viabilizou 6.662 projetos de energia sustentável em propriedades rurais

O RenovaPR é desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Agricultura e do IDR-Paraná, em parceria com a iniciativa privada e agentes......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a RenovaPR já viabilizou 6.662 projetos de energia sustentável em propriedades rurais
Governador Carlos Massa Ratinho Junior, participa da inauguração de mais um sistema para a produção de biogás e biometano, instalado na Granja Angst, em Toledo, no Oeste do Paraná. Foto: Ari Dias/AEN

O programa RenovaPR completa dois anos de lançamento com a marca 6.662 projetos de energia sustentável instalados em propriedades rurais do Paraná, subsidiados pelo Banco do Agricultor Paranaense. O programa apoia as famílias de produtores rurais na implantação de um sistema próprio para geração de energia, seja por meio de placas solares para gerar energia elétrica ou pelo processamento de biomassas para a produção de biogás e biometano.

O RenovaPR é desenvolvido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Agricultura e do IDR-Paraná, em parceria com a iniciativa privada e agentes de crédito. Os 6,6 mil projetos financiados somaram R$ 1,2 bilhão em investimentos, sendo que o Governo do Estado aportou R$ 235 milhões para subsidiar as taxas de juro para os produtores rurais nesse período.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior celebrou o aniversário do programa nesta sexta-feira (15), com a inauguração de mais um sistema para a produção de biogás e biometano, instalado na Granja Angst, em Toledo, no Oeste do Paraná. Os proprietários, Maria e Emílio Angst, trabalham há 20 anos na criação de suínos e na atividade leiteira e vão investir R$ 1,3 milhão na instalação de um biodigestor, com recursos do Plano Safra financiados pelo Banco do Brasil e suporte técnico do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná).

Ratinho Junior destacou o sucesso do programa, que fez com que o Paraná passasse a ocupar o segundo lugar no País em geração distribuída no meio rural, ficando atrás apenas de Minas Gerais. “Somos um dos maiores produtores de alimentos do Brasil em quantidade, variedade e com sustentabilidade. O mundo exige uma produção sustentável, e isso se reverte em novos negócios e em renda para os nossos produtores”, disse.

“Era isso que tínhamos em mente quando criamos o RenovaPR, incentivar os agricultores paranaenses a serem autossustentáveis em energia, o que reduz os custos, permite ampliar a produção e agrega valor aos produtos”, disse Ratinho Junior. “O potencial é tão grande que temos aqui no Oeste do Paraná um novo pré-sal. Por isso precisamos organizar essa geração de biogás, junto com os pequenos produtores, e integrar os sistemas para passar a comercializar esse combustível para as cooperativas, as empresas, além de utilizar nos próprios veículos das propriedades”.

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Estado ganhou 21.461 novas unidades de geração própria de energia nos últimos dois anos. Até o lançamento do programa, em 2021, eram 6.145 unidades, passando para 27.596 até agosto deste ano, um incremento de 250% no período.

O coordenador estadual do RenovaPR, Herlon Goelzer de Almeida, explicou que além de apoiar os agricultores, um dos objetivos do programa é disseminar a geração de energia distribuída no meio rural. “Estamos tendo resultados maravilhosos. A ideia do programa era sensibilizar os produtores rurais do Paraná, das diferentes cadeias produtivas, a fazerem a geração própria de energia. E esses números avançaram muito no Estado nos últimos dois anos”, disse.

“Até então, a grande maioria dos projetos que recebeu a subvenção era de energia solar, mas nosso esforço agora é ampliar a participação do biogás e biometano no programa, principalmente entre os produtores de proteína animal e nas agroindústrias”, explicou Almeida. “Eles produzem resíduos orgânicos que são passíveis de serem tratados em biodigestão, gerando o biogás. É uma riqueza, que tem a vantagem de poder ampliar a produção de animais, além de gerar a própria energia, reduzindo os custos de produção”.  

O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, destacou ainda que essa alternativa também possibilita ampliar a produção suína no Paraná, que é o segundo maior produtor nacional nessa cadeia – foram produzidas 5,9 milhões de unidades ao longo dos seis primeiros meses do ano, recorde para o período. Isso porque ao fazer a destinação correta dos resíduos, os produtores são autorizados a criar um número maior de animais. 

“Nós renovamos essa política para ampliar o subsídio aos agricultores que implantarem sistemas de autogeração de energia, bancado 100% dos juros para a agricultura familiar. Já tivemos uma grande adesão de energia solar, e agora queremos crescer com o biogás, porque somos grandes geradores de dejetos orgânicos”, disse Ortigara. “Isso traz um efeito positivo para a nossa agricultura, porque o dejeto tratado é uma fonte importante de matéria orgânica para fertilizar o solo”.

BIOGÁS – Além da economia, o novo sistema de biogás instalado na propriedade de Maria e Emílio Angst, que tem apenas três hectares, também vai ajudá-los a resolverem um passivo ambiental. A geração de biogás utiliza o dejeto dos animais que são criados no sítio e que, até então, precisavam ser destinados a outros locais para o descarte, gerando um custo médio de R$ 6 mil por mês.

Com a nova utilização, o Instituto Água e Terra (IAT) concedeu uma nova licença aos proprietários, autorizando a ampliação da produção. Agora, eles têm capacidade para criar 7,8 mil porcos de uma vez, mais do que quatro vezes a capacidade anterior, de 1,7 mil suínos. O rebanho de vacas leiteiras está mais do que triplicando, passando de 28 para 100 animais. Além disso, o casal também vai introduzir a piscicultura no sítio, com a previsão de oferecer ao mercado cerca de 48 toneladas de peixes por ano.

Pelos cálculos de Emílio Angst, entre três e cinco anos todo o investimento que foi feito na propriedade deve se pagar, porque a ampliação da produção deve multiplicar por 3,5 vezes sua renda bruta. “A gente tinha chegado no limite de produção e já não tinha mais lavoura para jogar os dejetos, e não podia mais aumentar a criação, porque a área é pequena. Aí veio a ideia de implantar o biodigestor, o que permitiu aumentar o número de animais”, explicou.

“Por causa da usina, nos livramos dos dejetos e agora estamos tranquilos, vendendo gás e adubo sólido”, contou. “Daqui uns dias vai surgir a piscicultura também e vamos entregar para a cooperativa o peixe, o porco e o leite. Tudo triplicou, até o meu nome no banco ficou melhor”.

A implantação da usina de biogás veio junto com uma série de melhorias na granja, que ganhou um novo barracão para a produção de suínos e um sistema de coleta da água da chuva, que é utilizada para saciar os animais, fazer a limpeza das pocilgas e estábulos e também na produção do biogás. A propriedade já contava com placas fotovoltaicas para a geração de energia.

O biometano produzido na propriedade está abastecendo os caminhões da Cooperativa Primato, da qual o casal é associado e para onde é destinada a produção. Os caminhões vão até o local para buscar o leite e levar ração para os animais e já saem com os tanques cheios de combustível. 

“A vaca que dá o leite, também dá o combustível para transportar esse leite. O custo atual do diesel na produção agropecuária é muito alto. Com esse movimento, os produtores têm redução nos custos, além de resolver um grande passivo ambiental”, afirmou Cícero Bley Júnior, da Bley Energias, uma das 639 empresas cadastradas para atuar no programa e que foi responsável pela implantação do sistema na granja.

“O RenovaPR está sendo decisivo para ampliar a produção de energia renovável no Estado, porque sem financiamento, os pequenos produtores não teriam dinheiro em caixa para esses projetos”, complementou. 

BANCO DO AGRICULTOR – O Banco do Agricultor Paranaense é um instrumento que possibilita ao Governo do Estado conceder subvenção econômica a produtores rurais, cooperativas e associações de produção, comercialização e reciclagem, e a agroindústrias familiares, além de projetos que utilizem fontes renováveis de geração de energia e programas destinados à irrigação, entre outros.

No mês passado, o governador Ratinho Junior anunciou a ampliação das linhas de crédito e do público beneficiado pelo Banco do Agricultor, que recebeu um aporte adicional de R$ 155 milhões do Governo do Estado.

Um dos objetivos é estimular os financiamentos em energias renováveis, no âmbito do RenovaPR, que terão os juros subsidiados pela Fomento Paraná com recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE). O benefício foi estendido a todos os agricultores enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Projetos de energia renovável de até R$ 500 mil terão juro zero e, acima desse valor, os juros variam de 2% a 5,5%. No caso de biogás, a subvenção total das taxas de juros serve para projetos de até R$ 2 milhões para pessoas físicas e de até R$ 20 milhões para CNPJs, com juros de 5% quando ultrapassar esses valores.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade o secretário estadual do Turismo, Marcio Nunes; os presidentes do IDR-Paraná, Natalino Avance de Souza; da Adapar, Otamir Martins; da Ceasa-PR, Éder Bublitz; da Cohapar, Jorge Lange; da Cooperativa Primato, Anderson Sabadin; os deputados federais Dilceu Sperafico e Elton Welter; os deputados estaduais Marcel Micheletto e Gugu Bueno; e o prefeito de Toledo e presidente da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop), Beto Lunitti; e prefeitos da região.

Fonte: AEN

Notícias Relacionadas:

Estado reforça importância das cooperativas em seminário em Coronel Vivida
Estado reforça importância das cooperativas em seminário em Coronel Vivida
Típico das festas juninas, amendoim tem maior área plantada no Paraná em 12 anos
Típico das festas juninas, amendoim tem maior área plantada no Paraná em 12 anos
Boletim Agrometeorológico de maio indica excesso de chuvas no Sul e escassez no Norte
Boletim Agrometeorológico de maio indica excesso de chuvas no Sul e escassez no Norte
Com apoio do Estado, propriedade do Oeste transforma dejetos em energia
Com apoio do Estado, propriedade do Oeste transforma dejetos em energia
Propriedade rural do Oeste passa a transformar dejetos animais em energia
Propriedade rural do Oeste passa a transformar dejetos animais em energia
Criada pelo IDR-Paraná, Rota das Lavandas completa 2 anos e atrai mais de 150 mil visitantes
Criada pelo IDR-Paraná, Rota das Lavandas completa 2 anos e atrai mais de 150 mil visitantes
Governo apresenta a cerealistas as iniciativas que aprimoram logística do agro no Paraná
Governo apresenta a cerealistas as iniciativas que aprimoram logística do agro no Paraná
Com apoio do Governo do Estado, Cerro Azul promove a Festa da Ponkan
Com apoio do Governo do Estado, Cerro Azul promove a Festa da Ponkan
Cerro Azul realiza Festa da Ponkan com apoio do Governo do Estado
Cerro Azul realiza Festa da Ponkan com apoio do Governo do Estado
Repasse do Governo do Estado faz Cooperativa de Rebouças ter centro de processamento de alimentos
Repasse do Governo do Estado faz Cooperativa de Rebouças ter centro de processamento de alimentos
Estado garante recursos para reconstrução de pavilhão da Ceasa de Curitiba após incêndio
Estado garante recursos para reconstrução de pavilhão da Ceasa de Curitiba após incêndio
30 anos: serviço de inspeção estadual de produtos de origem animal é garantia de qualidade
30 anos: serviço de inspeção estadual de produtos de origem animal é garantia de qualidade
Com apoio do Governo, Campo Mourão vai construir restaurante popular
Com apoio do Governo, Campo Mourão vai construir restaurante popular
Paraná lidera com recorde produção de frango; abate de suínos também avança
Paraná lidera com recorde produção de frango; abate de suínos também avança
Com previsão de 334 mil toneladas, plantio de cevada avança no Paraná
Com previsão de 334 mil toneladas, plantio de cevada avança no Paraná
Governador sanciona lei que institui política de segurança hídrica na agricultura no Paraná
Governador sanciona lei que institui política de segurança hídrica na agricultura no Paraná
Com novo mascote, Paraná inicia campanha de prevenção de incêndios florestais
Com novo mascote, Paraná inicia campanha de prevenção de incêndios florestais
Estado e governo federal vão criar grupo de trabalho para qualificar setor leiteiro
Estado e governo federal vão criar grupo de trabalho para qualificar setor leiteiro
Ceasa Paraná vai construir reservatório de água na unidade de Londrina
Ceasa Paraná vai construir reservatório de água na unidade de Londrina
Vazio sanitário da soja inicia neste domingo para algumas regiões do Paraná
Vazio sanitário da soja inicia neste domingo para algumas regiões do Paraná
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais