CGN
Acesse aqui o Discover e busque as mais lidas por mês!
Imagem referente a Filme sobre desaparecimentos na Baixada vence festival internacional
© Quiprocó Filmes/Divulgaçāo

Filme sobre desaparecimentos na Baixada vence festival internacional

Dirigido e roteirizado por Laís Dantas e produzido pela Quiprocó Filmes, Desova retrata as consequências na vida de mães que perderam seus filhos nessa situação, ainda recorrente na região. A produção foi......

Publicado em

Por CGN

Publicidade
Imagem referente a Filme sobre desaparecimentos na Baixada vence festival internacional
© Quiprocó Filmes/Divulgaçāo

Dirigido e roteirizado por Laís Dantas e produzido pela Quiprocó Filmes, Desova retrata as consequências na vida de mães que perderam seus filhos nessa situação, ainda recorrente na região. A produção foi apresentada pelo Fórum Grita Baixada e viabilizada por uma emenda parlamentar de 2020, do então deputado federal Marcelo Freixo. 

O trabalho também incluiu a pesquisa Mapeamento Exploratório sobre Desaparecidos e Desaparecimentos Forçados em Municípios da Baixada Fluminense, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). 

Aos 28 anos, Laís é cria de Duque de Caxias, na Baixada, e já assinou a direção de projetos no Canal Brasil, Instagram, Porta dos Fundos, Quebrando o Tabu e Instituto Marielle Franco. Entre eles, a direção de fotografia do curta A Mulher do Fim do Mundo, dirigido por Geo Abreu; do mini-doc Respeita Nosso Sagrado, dirigido por Fernando Sousa e Gabriel Barbosa; e do longa Rio, Negro. 

Em conversa com a Agência Brasil, a jovem cineasta explica que Desova busca compreender as dinâmicas do desaparecimento forçado de pessoas, que incluem técnicas do Estado de desaparecer com corpos, bem como a tentativa de mães e familiares das vítimas em lidar com esse trauma, por meio da criação de grupos e coletivos de apoio. 

Agência Brasil: Uma das questões mais duras no desaparecimento forçado é que se trata de uma dor que não tem encerramento, em função da ausência do corpo.
Laís Dantas: O maior desafio de fazer esse filme é a ausência do corpo. Muitas vezes, ali durante o roteiro, eu me vi sem chão, como trazer para o filme de uma forma menos dura, que não deixa de ser duro, mas tem uma poesia ali na narrativa que eu criei. 

Agência Brasil: Como nasceu a ideia do filme?
Laís Dantas: Esse filme chega a convite da Quiprocó, que já tem uma parceria com o Fórum Grita Baixada. Eu já trabalho com a Quiprocó como diretora de fotografia e sou cria da Baixada Fluminense, cria de Duque Caxias. Então eu começo a produzir imagens a partir do meu território e as pessoas sempre falaram que eu tenho um olhar muito sensível. Eles estavam atrás de uma diretora sensível, com outra perspectiva para contar essa história de uma forma menos dura. 

Agência Brasil: O desaparecimento forçado é uma questão violenta muito presente na Baixada Fluminense?
Laís Dantas: Acho que a gente, no filme, traz um pouco dos relatos da América Latina, mas falando da Baixada, é uma realidade da Baixada Fluminense, e falando a partir do meu conhecimento. A gente cresce ali, meio que dentro dessa realidade, meio que sem saber o que está acontecendo. A partir do filme, eu começo a entender quais são esses fatores, porque a gente vai ter o Estado e a gente vai ter o tráfico ao mesmo tempo. É uma realidade que está ali e que não tem política pública para isso. Fica muito assim: aconteceu. Quem resolve? Quem olha por essas mães? Como se lida com isso tudo, sabe? 

Agência Brasil: E como esse filme pode impactar a comunidade na Baixada para melhorar a vida dessas pessoas que sofrem com esse problema?
Laís Dantas: É muito louco, porque quando a gente começa a filmar, as mães olham para a gente com um olhar muito de “caramba, mais um filme, vai resolver meus problemas”. Eu espero que esse filme abra muitas portas para o diálogo sobre a importância de se criar política pública para esse enfrentamento, para a dinâmica do desaparecimento. Que as pessoas entendam o que é, que tudo muda quando alguém desaparece. Um desaparecido desapareceu, mas o que é isso? O que isso causa? Espero que abra mais portas para esse diálogo. 

Agência Brasil: O prêmio dá mais visibilidade para o tema. Você tem algum comparativo sobre a situação dos desaparecimentos forçados em outros lugares?
Laís Dantas: A gente tem registros na América Latina, na Argentina isso acontece, também no México. A gente consegue ter um panorama sobre o que as pessoas estão criando a partir dos seus territórios. Nem todos os filmes foram sobre desaparecimentos forçados, mas é um tema caro para eles, é algo que acontece. Veio até uma senhora me perguntar, “ah, mas não é uma técnica da ditadura e tal?” As pessoas veem muito os desaparecimentos que acontecem aqui no Brasil como uma técnica só da ditadura, parece que isso só aconteceu lá e não aconteceu no governo Lula, não aconteceu no governo Bolsonaro. 

Fonte: Agência Brasil

Notícias Relacionadas:

Humberto Gessinger se apresenta neste sábado no Teatro Guaíra com show inédito
Humberto Gessinger se apresenta neste sábado no Teatro Guaíra com show inédito
Exposição do Museu do Ipiranga mostra evolução do mobiliário do Brasil
Exposição do Museu do Ipiranga mostra evolução do mobiliário do Brasil
Evento de ópera celebra cultura italiana no Theatro Municipal de SP
Evento de ópera celebra cultura italiana no Theatro Municipal de SP
Museu Casa Alfredo Andersen celebra inclusão com mostra que abre nesta quinta-feira
Museu Casa Alfredo Andersen celebra inclusão com mostra que abre nesta quinta-feira
Centro Juvenil de Artes Plásticas comemora 71 anos em exposição no Museu Guido Viaro
Centro Juvenil de Artes Plásticas comemora 71 anos em exposição no Museu Guido Viaro
Com reconhecido violinista brasileiro, Orquestra Sinfônica se apresenta no domingo
Com reconhecido violinista brasileiro, Orquestra Sinfônica se apresenta no domingo
Noite das Ideias: MUPA recebe evento internacional da Embaixada da França
Noite das Ideias: MUPA recebe evento internacional da Embaixada da França
Richard Clayderman, Série Ouro, Roda de Samba e exposições: a agenda cultural da semana
Richard Clayderman, Série Ouro, Roda de Samba e exposições: a agenda cultural da semana
Museu Oscar Niemeyer promove oficina sensorial de argila para crianças de 1 a 2 anos
Museu Oscar Niemeyer promove oficina sensorial de argila para crianças de 1 a 2 anos
Festival de curtas-metragens em Paranaguá abrirá inscrições para todo o país
Festival de curtas-metragens em Paranaguá abrirá inscrições para todo o país
Senado aprova marco regulatório do fomento à cultura no Brasil
Senado aprova marco regulatório do fomento à cultura no Brasil
MUPA promove em junho ações do Programa Público para crianças e adolescentes
MUPA promove em junho ações do Programa Público para crianças e adolescentes
Crianças no Teatro: “Carmela, Caramelo e Remela” encerra circulação em Telêmaco Borba
Crianças no Teatro: “Carmela, Caramelo e Remela” encerra circulação em Telêmaco Borba
Atendendo mais de 16,5 mil crianças, temporada do Crianças no Teatro encerra nesta semana
Atendendo mais de 16,5 mil crianças, temporada do Crianças no Teatro encerra nesta semana
Os Incríveis apresentam show de 60 anos de trajetória no Guaíra neste domingo
Os Incríveis apresentam show de 60 anos de trajetória no Guaíra neste domingo
Junho marca o retorno da Hora do Conto na Biblioteca Pública do Paraná
Junho marca o retorno da Hora do Conto na Biblioteca Pública do Paraná
Violinista prodígio Guido Sant’Anna se apresenta com a Orquestra Sinfônica do Paraná
Violinista prodígio Guido Sant’Anna se apresenta com a Orquestra Sinfônica do Paraná
Ziraldo é homenageado na programação das fábricas de Cultura de SP
Ziraldo é homenageado na programação das fábricas de Cultura de SP
MUPA apresenta mesas de conversa e performance de contorcionismo
MUPA apresenta mesas de conversa e performance de contorcionismo
Projeto Cinema na Praça exibe filmes gratuitos para 40 mil pessoas em três meses
Projeto Cinema na Praça exibe filmes gratuitos para 40 mil pessoas em três meses
Google News CGN Newsletter

Whatsapp CGN 3015-0366 - Canal direto com nossa redação

Envie sua solicitação que uma equipe nossa irá atender você.


Participe do nosso grupo no Whatsapp

ou

Participe do nosso canal no Telegram

Veja Mais