• Maycon Corazza
  • Rádio Pioneira

09 Janeiro 2017 | 09h46min

O prefeito de Tangará da Serra, Fábio Martins, pediu a interdição da pista do aeródromo particular, que era destino de José Torres Sobrinho e de seus familiares. A solicitação foi motivada, em parte, pelo acidente aéreo ocorrido na última quinta-feira.

José Torres Sobrinho e a esposa Solésia Stringari Torres faleceram após o avião em que eles estavam cair, perto de aterrissar. A filha do casal, Gabriela Stringari Torres, e o genro Fábio Brandalize, sobreviveram, mas ficaram gravemente feridos.

O prefeito explicou à Rádio Pioneira que as medidas já estão sendo tomadas pelo Executivo para interdição.

“Estamos tomando providências com relação à cessação do funcionamento deste aeroporto para que passem a utilizar o Aeroporto Municipal que está habilitado para receber aeronaves. Enquanto esta situação deles não for resolvida junto aos órgãos responsáveis, vamos tomar providências para cessar o funcionamento da Aviação Rondon até que os órgãos da aviação digam que estão aptos a funcionarem”, afirmou Junqueira.

Martins explicou que a Prefeitura já havia negado em dezembro último a realização de uma parceria com a Aviação Rondon. “Negamos justamente porque não temos convicção de que eles podem funcionar plenamente sem criar essas situações. E com base nesta última ocorrência, estamos tomando providências no sentido de cessar o funcionamento deles até que isto seja resolvido”.

O objetivo, segundo o Prefeito é que toda aeronave que queira pousar em Tangará, faça o procedimento no Aeroporto Municipal.

Carregar mais notas ao vivo

Comentários (1 comentário)

  • Jovem
    0
    0
    11 meses atrás às 10:12h
    Isso é só pra aparecer na mídia.
Envie seu comentário Seu endereço de email não será divulgado