Conecte-se conosco

Paraná

Defensoria exige esvaziamento do cadeião de Ponta Grossa

A Cadeia Pública Hildebrando de Souza, em Ponta Grossa, contém 900 presos, tendo capacidade para 208

Publicado em

Defensoria exige esvaziamento do cadeião de Ponta Grossa

A Defensoria Pública do Estado do Paraná, por meio do Núcleo de Política Criminal e Execução Penal (NUPEP), pediu cumprimento de uma decisão liminar obtida em ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Paraná, solicitando que os presos de condenação definitiva da Cadeia Pública Hildebrando de Souza, em Ponta Grossa, fossem transferidos para uma penitenciária.

A ação perdura desde 2017 e o defensor público auxiliar do NUPEP, Julio Salem, explica o caso.

“Em 2017 o Ministério Público entrou com uma ação com esse pedido de transferências e em seguida o governo conseguiu suspender. Entretanto, a determinação foi revertida novamente e se deu o prazo de 180 dias para que a cadeia se adequasse. Esse prazo já venceu e agora estamos cobrando novamente que as transferências sejam feitas”, comenta.

Em 8 julho desse ano, houve um incêndio em uma das galerias da cadeia, causado por um curto-circuito que atingiu uma das alas.

No dia seguinte ao incêndio, Julio Salem e a defensora pública Mônia Serafim, visitaram o local, verificando, assim, a situação de sua estrutura.

O defensor público informa que, no dia do incêndio a cadeia pública tinha 920 presos e atualmente está com 900 detentos no local. A capacidade seria para 208.

Com informações: A Rede. 

Clique aqui e participe do nosso grupo no whatsapp

Publicidade
Publicidade