• Maycon Corazza
  • Texto: ASSESSORIA DE IMPRENSA

05 Junho 2018 | 16h26min

Cascavel pode se preparar para uma nova fase na área esportiva. É que o planejamento do FC Cascavel contempla a concretização de um estádio próprio e os planos já estão ganhando mais forma. Na última prestação de contas feita aos acionistas do clube, a diretoria do time recebeu sinal verde para dar andamento ao projeto. A proposta é firmar uma PPP (Parceria Público Privada) para resgatar o antigo Estádio Ninho da Cobra, que fica no bairro Pioneiros Catarinense. “A ideia é bem simples. A prefeitura cede o estádio no estado em que se encontra e o clube vai desenvolver uma estrutura para até dez mil pessoas. Em contrapartida, o município vai economizar e deixa de ter um custo mensal de manutenção” comenta o presidente do FC Cascavel, Valdinei Silva.

Inaugurado em abril de 1979, o Estádio Theodoro Colombelli, mais conhecido como Ninho da Cobra, foi palco de grandes jogos. Foi nesse gramado que o goleiro Zico fez um gol histórico chutando da sua área. E é para que Cascavel volte a reviver essas emoções e sinta essa nostalgia que o clube cascavelense quer revitalizar o espaço.

A ideia ainda é promover um ganho social para a comunidade, oferecendo mais um espaço de lazer, além de incluir como contrapartida a criação de 10 escolinhas de futebol nos bairros de Cascavel. A meta faz parte de um planejamento maior, que prevê 45 escolinhas espalhadas pela região toda ao longo de dez anos. “Pegamos modelos de alguns times grandes e estamos estudando qual é o melhor a ser seguido. Serão escolinhas sociais para beneficiar a população em parceria com as prefeituras, além de escolinhas privadas”, detalha o presidente.

A previsão é de que no segundo semestre de 2018 os detalhes da viabilidade do projeto possam ser discutidos com o prefeito.

Mas por que um estádio novo se Cascavel já possui um grande estádio?

Esse é um questionamento automático quando se fala nesse assunto. Hoje, Cascavel já tem o Estádio Olímpico Arnaldo Busatto como referência. O problema é que ele ainda impossibilita uma das coisas mais essenciais para quem ama futebol: a proximidade do torcedor com o campo. “Queremos que o torcedor sinta realmente a energia e o calor das partidas, que se emocione! Isso faz toda a diferença para quem vai assistir aos jogos e, claro, para os jogadores também. Infelizmente, o Olímpico mantém a torcida muito longe do gramado”, comenta Valdinei.

Além disso, ter um estádio próprio significa mais autonomia e melhor gestão para geração de receita. A ideia é desenvolver a estrutura em formato de arena, que tem um conceito multiuso, ou seja, é possível realizar uma série de eventos no local, além das partidas de futebol. Assim o clube pode administrar melhor sua publicidade, seus jogos, a manutenção do gramado, cadeiras, internet, enfim, mais benefícios para a própria arena que será melhor cuidada e para o time que terá condição de mandar jogos num espaço mais favorável para o desenvolvimento do esporte.

Esse é um sonho que faz parte do planejamento para os próximos dez anos do Futebol Clube Cascavel. A prioridade, por enquanto, é continuar investindo no Centro de Treinamento, que já foi transformado com quase um milhão de reais. Paralelamente a esses investimentos, o estádio próprio será planejado.

Carregar mais notas ao vivo