• Mariana Lioto
  • Folha Press

06 Novembro 2017 | 11h16min

A auxiliar Geni Oliveira Lopes Martins, de 63 anos, que teve 70% do corpo queimado durante incêndio criminoso na creche Gente Inocente, em Janaúba (MG), morreu na madrugada desta segunda-feira (6).

A morte foi confirmada pela assessoria de imprensa do Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, onde a vítima estava internada. Com o falecimento da auxiliar, subiu para 12 o número de mortos da tragédia -outras nove crianças e mais dois adultos morreram.

Na manhã do dia 5 de outubro, o vigia Damião Soares dos Santos, de 50 anos, que também morreu, ateou fogo na creche de forma premeditada, segundo a polícia.

As investigações apontaram que Damião "tinha problemas mentais e era obcecado por crianças" -e que a data era simbólica para ele por marcar os três anos da morte do pai.

O ataque deixou em choque a cidade de 72 mil habitantes do interior de Minas Gerais, a 554 km de Belo Horizonte.

SOBREVIVENTES

Sete pessoas ainda continuam internadas. Duas crianças e um adulto estão hospitalizados na Santa Casa de Montes Claros (MG).

Em Belo Horizonte, outras quatro seguem no Hospital João XXIII. Uma mulher e mais uma criança estão em estado grave. Outras duas crianças, segundo último boletim médico da unidade, estão estabilizadas.

Carregar mais notas ao vivo