• Ricardo Oliveira
  • Campo Grande News

13 Janeiro 2018 | 15h32min

Uma técnica de necropsia registrou boletim de ocorrência, na manhã deste sábado (13), contra uma funcionária terceirizada da limpeza do SVO (Serviço de Verificação de Óbito) da Capital, suspeita de tirar fotos de cadáveres e compartilhar os arquivos em grupos de Whatsapp. A ação foi descoberta em dezembro do ano passado, mas como a funcionária, de aproximadamente 40 anos, havia sido orientada, nenhuma providência a mais havia sido tomada.

"Como ela não trabalha na área e não conhece os procedimentos, nós a orientamos na época, explicamos o porque isso não pode ser feito, pois expoe o necropsista, fora que é um momento em que o cadáver está vulnerável", explicou Sandra Araújo.

Segundo a necropsista, as fotos foram compartilhadas por mais de uma vez no próprio grupo do SVO. "Eu sai do grupo logo depois, alertei a administração e conversei com ela. Mas essa semana, eu ajudava em um procedimento quando minha luva rasgou e, quando sai da sala para trocar, encontrei a funcionária mexendo no meu celular e tentando apagar as fotos", complementou Sandra.

Após informar a supervisão sobre o acontecido, a necropsista foi orientada a procurar a delegacia e registrar o boletim. A funcionária responderá pelo crime de vilipêndio de cadáver, quando o corpo é exposto a alguma situação de ofensa física, profanação ou humilhação, e poderá pegar detenção de um a três anos de prisão. Também é prevista cobrança de multa pelo crime.

Caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga. A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) será alertada, para que as devidas providências sejam tomadas.

As informações são do Campo Grande News.

Carregar mais notas ao vivo
Envie seu comentário Seu endereço de email não será divulgado