• Ricardo Oliveira
  • UOL/Folha

12 Agosto 2017 | 18h44min

Três moradores de rua morreram a tiros na manhã deste sábado (12), na zona sul de São Paulo.

Segundo a Polícia Militar, as vítimas foram atacadas por volta das 5h no momento em que dormiam no pátio de um posto de combustíveis desativado na avenida Teotônio Vilela, na altura do número 410. O local fica bem próximo ao Autódromo de Interlagos.

Ainda segundo a polícia, dois homens baleados morreram na hora. Uma terceira vítima, uma mulher, foi socorrida e levada ainda com vida para o Pronto-Socorro de Grajaú, também na zona sul, mas morreu durante o atendimento.

O posto concentra há alguns anos grupos de moradores de rua que procuram o local para dormir. Segundo dois moradores do posto, as pessoas assassinadas são um casal (um homem de 33 anos e uma mulher de 40) e Claython Mendes dos Santos, 38 anos (único, até o momento, com a identidade confirmada pela polícia).

Enquanto assistiam a uma televisão em um quartinho, os dois moradores, que não quiseram se identificar, afirmaram que as vítimas eram pessoas tranquilas –o que também foi repetido por outros comerciantes do entorno–, mas costumavam consumir drogas.

"Se deixasse, tomavam até álcool de bomba de posto de gasolina", disse um deles.

No local, uma mulher chorando dizia já ter morado no posto. Ela afirmou que uma das vítimas tinha alguns problemas com pessoas na região e que tinham vindo "cobrá-lo". Os outros, segundo a mulher, acabaram morrendo por estarem perto.

Em um bar próximo, pessoas que também não quiseram se identificar disseram que furtos noturnos de comércios da área eram associados a esta vítima.

"Ano passado ele levou seis tiros. Um outro cara que estava com ele levou um tiro e morreu", disse um homem que bebia no bar e conversava sobre o crime ocorrido neste sábado.

Abandonado, o local do crime contrasta com os comércios da movimentada avenida. No posto, funciona ainda um estacionamento improvisado, onde, no início desta tarde, era possível encontrar uma placa escrita à mão de "estacione".

Até esta publicação, nenhum suspeito havia sido preso. A polícia até o momento não sabe determinar a motivação dos assassinatos.

O crime será investigado pelo Departamento de Homicídios da Polícia Civil.

As informações são do UOL/Folha.

Carregar mais notas ao vivo
Envie seu comentário Seu endereço de email não será divulgado