• Mariana Lioto
  • CGN

10 Julho 2017 | 11h24min

A Justiça de São Paulo negou, pela segunda vez, o pedido de liberdade provisória dos dois homens que tatuaram à força a frase "sou ladrão e vacilão" na testa de um jovem na região do ABC. A dupla ainda filmou a ação e divulgou nas redes sociais.

O advogado de um dos agressores afirmou que a promotoria não considerou o caso como tortura, e isso permite que eles respondam em liberdade.

A dupla é acusada de constrangimento ilegal, lesão corporal e ameaça. Ambos confessaram o crime dizendo que a tatuagem seria uma punição para o garoto, que havia tentado furtar uma bicicleta.

As informações são do UOL/Band.

Carregar mais notas ao vivo
Envie seu comentário Seu endereço de email não será divulgado